Pub

Em declarações à Lusa, fonte da GNR explicou que o homem de 53 anos e a mulher de 30 anos, têm 10 filhos – não são todos da mesma mulher – e que a maior parte das crianças com idades entre os oito e os 14 anos eram utilizados para o negócio do tráfico de droga por ser “ser mais fácil fugir às detenções”.

As crianças eram utilizadas para transportar droga que estava enterrada no solo junto ao átrio da Igreja da localidade de Bensafrim, e desta forma o casal, agora detido, ficaria isento do crime de tráfico de droga, explica a GNR, acrescentando que também apreendeu os estupefacientes que se encontravam debaixo de terra junto ao templo religioso.

O casal, de nacionalidade cabo-verdiana, está hoje a ser ouvido no Tribunal de Lagos, enquanto que a Comissão de Protecção de Crianças e Jovens de Lagos encaminhou as 10 crianças menores de idade para lares e instituições da região, indica a GNR.

A GNR, que investigava este caso há cerca de um ano, desencadeou a operação de combate ao tráfico de estupefacientes, na quinta-feira, com buscas na residência do casal de traficantes, onde descobriu várias armas brancas, tendo também apreendido cocaína em elevado grau de pureza suficiente para mais de mil doses para consumo individual e produto de corte utilizado na preparação da droga.

Das buscas domiciliárias realizadas resultou ainda a apreensão de três viaturas, cinco telemóveis, cerca de 60 quilos em cobre, 500 gramas de artigos em ouro e 600 euros em dinheiro.

A acção policial foi executada por militares do Núcleo de Investigação Criminal GNR de Portimão, teve o apoio de binómios (homem/cão) de deteção de estupefacientes do Destacamento de Intervenção, militares do Posto da GNR de Lagos e Equipas do Núcleo de Investigação e Apoio a Vitimas Especificas de Crimes da GNR de Faro.

Lusa

Pub