Pub

Castelo_silvesO Castelo de Silves recebeu em 2014 mais de 200 mil visitantes, assumindo-se como o principal polo dinamizador do turismo do concelho, e é já o segundo monumento mais visitado do Algarve, a seguir ao Promontório de Sagres.

“Em 2014, recebemos 204.864 pessoas, mais 10 mil visitantes do que em 2013, sendo um monumento histórico essencial no âmbito das atrações turísticas do concelho”, disse à agência Lusa Pedro Garcia, coordenador do turismo do concelho de Silves.

O responsável perspetiva um aumento substancial do número de visitantes para este ano, “dada a tendência crescente na procura pelo monumento verificada nos últimos três anos”, transformando-o num dos mais importantes polos de atratividade e num dinamizador da economia turística.

Pedro Garcia atribui o aumento de visitas turísticas “ao trabalho desenvolvido com os empresários e operadores da área do turismo, à flexibilidade da regulamentação e à adaptação de novos preços, nomeadamente para grupos”.

“Procuramos trabalhar com uma maior proximidade aos agentes para encontrar soluções que satisfaçam todas as partes”, sublinhou.

Classificado em 1910 como Monumento Nacional, o Castelo de Silves é uma típica estrutura da arquitetura militar islâmica, implantado no ponto mais alto da colina em que assenta a cidade, com um perímetro de 12.000 metros quadrados. As diferentes fases da sua construção remontam aos períodos, islâmico e cristão.

A fortificação com dez torres, composta por uma muralha de taipa, revestida a arenito vermelho da região, integra no interior vestígios de habitações palatinas almóadas, infraestruturas de aprovisionamento de água e cereais, onde se destaca o aljibe, grande cisterna que abastecia de água a cidade.

Em 2003, o castelo recebeu diversas melhorias e restauros no seu interior, que incidiram na consolidação e reconstrução das ruínas arqueológicas, na conservação da cisterna, passadiços, infraestruturas de águas e esgotos, instalações sanitárias e na instalação de uma cafetaria.

“Foram intervenções que contribuíram para a valorização do espaço, aumentando a sua atratividade”, disse Hélder Nogueira, gestor do Castelo de Silves, acrescentando que “estão em curso várias ações de intervenção para reposicionar o monumento como um dos mais importantes no Algarve”.

“Além dos achados arqueológicos, o castelo tem vários atrativos no seu interior, destacando-se atualmente a exposição ‘No caminho do lince ibérico’, eventos que permitem aos visitantes aumentarem o tempo de permanência”, referiu.

Segundo Hélder Nogueira, existe “uma preocupação de valorizar o património, tornando-o atrativo”, até porque o aumento do número de visitantes obriga a preservar e a introduzir melhorias e produtos inovadores.

Este ano será implementada sinalética informativa e direcional e o acolhimento na área da portaria será requalificado, prevendo-se outras intervenções pequenas mas importantes para a valorização do espaço.

“O fenómeno do turismo está em crescendo e queremos acompanhar e manter a tendência de crescimento que se tem verificado nos últimos três anos”, destacou.

De acordo com Hélder Nogueira, as receitas geradas em 2014 no castelo rondaram os 465 mil euros, resultantes de entradas, vendas de produtos de publicidade, publicações e da concessão da cafetaria.

O Castelo de Silves encontra-se aberto todos os dias, exceto no dia de Natal e no dia de Ano Novo.

Pub