Pub

Estas visitas têm como objetivo “permitir aos participantes um conhecimento mais profundo daquele monumento, de modo a que, através da arte, da arquitetura e da espiritualidade, o possam fruir completamente”, explica o documento.

A primeira destas visitas terá lugar no dia 27 de novembro e será animada por Jesus Ejocha, seminarista da Diocese do Algarve de origem guineense, que atualmente efetua um estágio na paróquia de Silves. Centrar-se-á no tema “Na Tua Palavra” e conduzirá os visitantes na “descoberta da ligação existente entre a construção do templo e o seu espaço arquitetónico, com a preocupação de dar a conhecer e fazer escutar a palavra de Deus, dado que uma Igreja é, primordialmente, um local onde se escuta as palavras sagradas”, explica a comunidade paroquial.

“Catedral: a casa dos crentes” é o segundo tema, apresentado no dia 4 de dezembro por Luís Santos, jurista. “Conhecer as características de um templo gótico, que ao longo das épocas sofreu diversas intervenções, perceber de que modo essas características permitiram a implementação de estratégias conducentes à concentração dos fiéis, à sua imersão na dimensão do sagrado” e, simultaneamente “perceber quais os factos históricos mais ligados à catedral de Silves”, serão os temas centrais desta visita.

A terceira semana destas visitas centrar-se-á na figura de “Maria, Mãe que acolhe”. “Dedicada a Nossa Senhora da Conceição, a catedral de Silves tem uma profunda ligação à figura da Mãe de Cristo, existindo algumas imagens de grande beleza, que revelam a veneração dos fiéis a esta figura, desde os primórdios da sua construção”, refere a paróquia. Assim, quem participar ficará a conhecer um pouco mais da arte e da espiritualidade associada a Maria, com a ajuda de Sandra Moreira, técnica superior de comunicação.

Por fim, no dia 18 de dezembro, encerrar-se-á este ciclo de visitas, com o pároco de Silves, o padre Carlos Aquino, que ajudará os visitantes a compreenderem “Jesus, o Cristo de Deus”. Especialista em liturgia, Carlos de Aquino guiará os presentes num percurso que fará “compreender melhor a figura de Cristo, presente em diversos pontos da catedral e presente em diferentes formas, quer físicas quer espirituais”.

Recordamos que este ciclo de ações, intitulado “Memórias Escondidas” surge como consequência da integração desta Sé na “Rota das Catedrais” e que o acesso a estas visitas é livre. No final, haverá sempre um pequeno momento de convívio e de lanche, onde os participantes poderão conviver e trocar impressões.

Advento é o tempo (o primeiro) do ano litúrgico, o qual precede e prepara o nascimento de Cristo, constituído, no calendário religioso, pelas quatro semanas que antecedem o Natal.

Pub