Pub

A primeira dimensão foi abordada no próprio pavilhão da FISSUL com a participação de cerca de 40 casais. Segundo o padre Joel Teixeira, assistente do Secretariado da Pastoral Familiar da Diocese do Algarve, foi, sobretudo, uma oportunidade para escutar as famílias para perceber quais as suas necessidades e “houve algumas ideias que podem ganhar corpo no próximo ano”. “Queremos avançar com «padrinhos de casamento», alguém designado pela paróquia para acompanhar os casais antes e depois do casamento”, adiantou aquele responsável ao FOLHA DO DOMINGO, lamentando não existir “sequência no acompanhamento”, após a preparação prévia feita na comunidade. Segundo o sacerdote, os “padrinhos” terão como missão “acompanhar os novos casais para que se sintam integrados”.

Numa sala distinta ficaram as cerca de 30 crianças, na sua maioria pertencentes a uma única paróquia. Após o visionamento e a interpretação da “Parábola do Fogo” em pequenos grupos por anos de catequese, cada participante elaborou um mobile baseado na leitura bíblica do Pentecostes (a descida do Espírito Santo sobre os apóstolos de Jesus Cristo) e fizeram mensagens para entregar no final da Eucaristia.

Os jovens reuniram-se, no âmbito da pastoral juvenil e vocacional, na igreja dos Mártires, onde esteve patente uma exposição das atividades realizadas ao longo dos últimos quatro anos pelo Secretariado da Pastoral Vocacional da Diocese do Algarve. Devido à alteração do local não foi possível ser feita a anunciada apresentação do seu canal no YouTube que servirá para reforçar a presença daquele serviço da Igreja algarvia nas redes sociais. Ao FOLHA DO DOMINGO, o padre Pedro Manuel, diretor daquele secretariado, adiantou ainda que, para além do YouTube, pretende-se ainda criar um canal no MEO.

Com o objetivo de refletirem sobre o papel de cada um na Igreja, os jovens realizaram então, por grupos, uma dinâmica de rua. “Serviu para ajudar os jovens a integrarem-se na Igreja do Algarve e para que os jovens nos ajudem a nós, responsáveis pelas estruturas da diocese, a encontrar caminhos para os servimos a eles”, explicou, adiantando que se pretende mudar um pouco o estilo de atividades para o próximo ano. “Já tivemos tempo de anúncio vocacional e agora é necessária uma aposta mais específica que passará pela promoção de atividades mais genéricas e pela ida a paróquias a atividades mais particulares”, concretizou o padre Pedro Manuel.

No salão paroquial da paróquia de Silves, junto à Sé, decorreu a Lectio Divina, uma forma aprofundada de oração, a partir da leitura da Bíblia, que exige disponibilidade de tempo e de espírito. Caracteriza-se por quatro etapas: leitura, meditação, oração e contemplação/aplicação à vida. “Foi uma oportunidade para refletir à luz da liturgia deste domingo e os testemunhos foram bastante interessantes. Senti que a Lectio Divina é algo que entrou nas comunidades, na medida em que a participação foi bastante grande de quem estava e, sobretudo, com conteúdo”, testemunhou o diácono Albino Martins ao FOLHA DO DOMINGO.

Na Sé realizou-se a adoração ao Santíssimo Sacramento (hóstia, a qual, depois de consagrada, passa a ser o corpo de Cristo), com a possibilidade de administração do sacramento da Reconciliação.

O sector sóciocaritativo ficou no Teatro Mascarenhas Gregório, tendo sido aquele espaço dinamizado conjuntamente pela Caritas Diocesana do Algarve e pela Sociedade de São Vicente de Paulo que procuraram sensibilizar os participantes para esta área do trabalho da Igreja. “Procurámos dar a conhecer aquilo que, ao longo deste sexénio, foi desenvolvido ao nível da pastoral social e também a espiritualidade e carisma da Sociedade de São Vicente de Paulo”, explicou Carlos Oliveira, presidente da Caritas algarvia, ao FOLHA DO DOMINGO. “O grupo testemunhou a verdadeira dinâmica que os grupos de ação sóciocaritativa da diocese estão a desenvolver na ajuda às pessoas em dificuldade”, complementou.

Após os trabalhos e o almoço, os participantes voltaram ao recinto da FISSUL para a tarde cultural que contou com atuação do Grupo de Santa Maria e do coro juvenil da paróquia de Silves. Seguiu-se depois a celebração intitulada “Revestidos da força do alto” e a Eucaristia.

Samuel Mendonça

Pub