Pub

Na última sexta-feira, no decurso da Celebração Ecuménica que teve lugar na Sé de Faro com a participação de algumas destas Igrejas (ver notícia), o Bispo do Algarve começou por enumerar, com base em dados estatísticos do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) relativos a 2009, que, depois da brasileira (com 12.569 membros, com cultos muito diversificados), a comunidade britânica é a segunda mais numerosa no Algarve (com 10.795 membros), seguindo-se as comunidades ucraniana (com 10.409 membros), romena (com 7.926 membros), moldava (com 6.300 membros) e alemã (com 3.472 membros).

Neste contexto, D. Manuel Quintas adiantou que a Igreja Católica algarvia tem cedidas, já há muitos anos, as igrejas das Pereiras (Quatro Estradas – Quarteira) e da Luz de Lagos, para o culto da Igreja Anglicana que assiste a comunidade britânica. O prelado destacou mesmo que a Capelania de São Vicente da Igreja Anglicana, presidida pelos pastores Bob Bates e Haynes Hubbard, – que celebra ainda em espaços próprios em Boliqueime e Gorjões (Santa Bárbara de Nexe) – tem um “relacionamento muito fraterno” com a Igreja Católica.

Os ucranianos que pertencem à Igreja Greco-católica de rito bizantino, assistida pelo padre Oleg Trushko, celebram mensalmente, no terceiro domingo do mês, na igreja matriz de Vila Real de Santo António e na igreja do Livramento (Tavira), no primeiro domingo do mês; quinzenalmente na capela de São José (Portimão); e semanalmente na igreja de Santo António do Alto (Faro), na igreja matriz de São Brás de Alportel e na capela de Santa Ana (Albufeira).

Os membros da Igreja Ortodoxa Romena, assistida pelos padres Ioan Rîşnoveanu e Vasile Călin Hărşan, celebram na capela de São Sebastião (Faro) e na capela de Sargaçal (Lagos), enquanto os moldavos, da Igreja Ortodoxa Russa, assistida pelo padre Ioan Gherbovétchi, celebram na capela de Santo Amaro (Faro) e na capela do Senhor dos Aflitos (Lagos).

Os alemães no Algarve são sobretudo membros da Igreja Evangélica Luterana que celebra na capela do Carvoeiro (Lagoa), assistidos pelo pastor Georg Welker.

Para além destas Igrejas está ainda presente no Algarve, o Patriarcado Ecuménico Ortodoxo de Constantinopla, composto por membros de várias nacionalidades, que celebram na capela da Santa Casa da Misericórdia de Albufeira.

Lembrando que, depois de Lisboa (com 196.768), o Algarve é o distrito com mais estrangeiros (73.277) do país (cujo total é 454.191), o Bispo diocesano lembrou que alguns destes já se encontram na região há muito tempo, como os britânicos, enquanto outros chegaram mais recentemente como os ucranianos, os romenos ou os moldavos.

D. Manuel Quintas sublinhou ainda a importância desta colaboração entre Igrejas cristãs. “Estamos a progredir no caminho desta unidade e comunhão, proporcionando espaços de oração porque sabemos que além da oração há também o encontro, o apoio mútuo e a ajuda fraterna. Sabemos como é importante para quem está longe da sua terra poder encontrar-se com os da mesma nação ou Igreja. Sabemos que isso muito contribui, não só para o fortalecimento da fé, mas também para o apoio fraterno”, disse.

Samuel Mendonça

Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Pub