Pub

O encontro, que teve como ponto alto a oração da noite, participada por cristãos católicos, luteranos e ortodoxos, começou, de manhã, com o acolhimento na sede dos Bombeiros Voluntários, seguindo-se a oração do meio-dia na igreja matriz de Aljezur.

Após o almoço, partilhado no salão dos bombeiros, os jovens e adultos (incluindo algumas famílias) regressaram à igreja para um momento de reflexão protagonizado pelo testemunho de João Cabral, leigo (entenda-se, não clérigo) mandatado há 12 anos pelo bispo do Algarve para trabalhar nas paróquias de Aljezur, Bordeira e Odeceixe e impulsionador da espiritualidade de Taizé no Algarve.

Depois do lanche e do jantar, oferecidos pela paróquia anfitriã, os participantes regressaram à igreja paroquial para a oração da noite que teve a participação do bispo da Igreja Católica, D. Manuel Quintas, do pastor da Igreja Luterana alemã, Georg Welker, e da representante da Igreja Ortodoxa romena do concelho de Aljezur, Diolina Dusacovschi.

D. Manuel Quintas, dirigindo-se aos participantes, congratulou-se com a iniciativa e exortou-os ao testemunho de Cristo ressuscitado. “É muito bom encontrarmo-nos para rezar, segundo a espiritualidade de Taizé. Rezarmos juntos aproxima-nos mais de Deus e uns dos outros”, sublinhou o bispo católico do Algarve.

O prelado desafiou a “transformar o desencanto, as amarguras e as tristezas em encanto, alegria e entusiasmo”. “Cada um de nós é testemunha da presença de Cristo vivo e ressuscitado no mundo de hoje e na Igreja. Ser testemunha significa ser sinal da presença de Cristo. O amor é a expressão mais viva, fiel, apelativa e interpeladora da presença de Cristo vivo no meio de nós”, afirmou D. Manuel Quintas, referindo-se ao “amor altruísta e generoso” de quem se “desfaz pelos outros”. 

Samuel Mendonça
Pub