Pub

No jardim exterior do aeroporto há também centenas de passageiros a apanharem sol, enquanto aguardam por informações sobre os seus voos, cancelados devido a uma nuvem de cinza expelida por um vulcão islandês e que interrompeu o tráfego aéreo no espaço europeu.

"Check in fechado, sem previsão de abertura", ou simplesmente "voo cancelado", é o que se pode ler na maioria dos monitores do Aeroporto Internacional de Faro, sendo a maioria das viagens com destino ao Reino Unido e norte das Europa.

Em declarações à Lusa, o diretor do aeroporto de Faro, António Mendes, referiu que por norma, a uma quinta feira de abril, embarcam cerca de sete mil pessoas neste aeroporto do Algarve.

Elisa Spencer Balacó é uma das passageiras que, com o seu bebé, viu hoje o voo cancelado com destino a Glasgow, Escócia.

"Disseram-nos que o espaço aéreo inglês está interdito por causa do vulcão na Islândia e por isso vou para casa", disse à Lusa.

Um vulcão localizado no sul da Islândia, no glaciar Eyjafjllajokull, registou na quarta feira a segunda erupção em menos de um mês, obrigando à retirada de cerca de 800 pessoas e ao encerramento, hoje, do espaço aéreo em vários países europeus, o que obrigou ao cancelamento de inúmeros voos na região.

Lusa

Pub