Pub

A ANA – Aeroportos e Navegação Aérea informou que as áreas públicas do terminal encerraram ao meio-dia devido ao mau tempo previsto para hoje na região, de forma a acautelar a segurança dos passageiros e funcionários do aeroporto, que na segunda-feira de madrugada ficou com uma parte da cobertura, a zona dos rent-a-car e a torre de controlo destruídas ou severamente danificadas na sequência do mau tempo.

O diretor do aeroporto de Faro, António Correia Mendes, disse à Lusa que estão a operar seis autocarros entre o parque de estacionamento n.º 6 – agora transformado em terminal de embarque – e uma zona interior do aeroporto, em que é feito o ‘check-in’.

Correia Mendes assegurou que, à partida, todos os passageiros dos 60 voos previstos para os períodos da tarde e da noite deverão embarcar.

Os passageiros, que se encontram de pé no chão de alcatrão do parque de estacionamento, sem qualquer abrigo, estão a ser chamados para os voos, correspondendo cada voo a um ou mais autocarros.

Uma equipa de bombeiros do Aeroporto de Faro está a dar assistência aos passageiros, a maioria dos quais já se encontra no local há mais de uma hora.

“Estou aqui desde a uma da tarde e estive sem qualquer informação durante meia hora. Agora já sei mais qualquer coisa”, disse à Lusa Luís Reis, 54 anos, que aguardava pelo voo que o levaria a Madrid, às 14:15.

Segundo o português, residente em Tenerife, em uma hora apenas tinham saído quatro autocarros, três dos quais para um único voo, da Ryanair.

Um turista alemão afirmou, cerca das 13:45, que estava ali desde as 12:00 e que ninguém o tinha informado ainda sobre o seu voo para Estugarda, com partida prevista para as 14:30.

“Há aqui passageiros britânicos que esperam desde o meio da manhã. Só vemos passar bombeiros e funcionários do aeroporto, mas ninguém nos informa de nada”, disse Wolfgang Seitz, 65 anos, receando a chuva que ameaçava cair.

Sem descartar a hipótese de alguns atrasos, o diretor do aeroporto assegurou que à medida que os voos se forem processando todos os passageiros serão chamados para o ‘check-in’.

Correia Mendes afirmou que o fecho das zonas públicas do terminal não tem um limite previsto, tudo dependendo das condições meteorológicas que se venham a verificar até à próxima madrugada.

Lusa
Pub