Pub

Central_valorizacao_organica_algarA nova Central de Valorização Orgânica (CVO) de resíduos sólidos de São Brás de Alportel vai entrar em funcionamento este mês, disse à Lusa o presidente da Algar, empresa responsável pela valorização e tratamento de resíduos sólidos do Algarve.

Localizada no Parque Ambiental da Alfarrobeira, em São Brás de Alportel, aquela central custou cerca de 20 milhões de euros e é um dos maiores investimentos realizados nos últimos anos naquele concelho, segundo disse à agência Lusa o presidente da autarquia, Vítor Guerreiro.

De acordo com as informações fornecidas pela Algar, aquela CVO tem capacidade para tratar 22.000 toneladas anuais de resíduos orgânicos e 10.000 toneladas de resíduos verdes e vai criar 30 postos de trabalho diretos e mais de 50 indiretos.

O Parque Ambiental da Alfarrobeira, constituído pela CVO, por uma unidade de compostagem de verdes e por uma unidade de valorização energética do biogás é, segundo o presidente da Algar, Artur Cabeças, uma peça fundamental para o aumento da capacidade de tratamento e valorização de resíduos na região.

A produção de biogás não é uma novidade para a empresa, que já faz o aproveitamento de biogás produzido a partir da matéria orgânica depositada nos dois aterros existentes na região.

Segundo o presidente da Algar, em 2013 o biogás foi responsável por receitas na ordem de 1,3 milhões de euros.

Ainda a fechar o relatório de contas, Artur Cabeças adiantou que o volume de negócios da empresa em 2013 anda na ordem dos 16,3 milhões de euros, tendo os recicláveis sido responsáveis por cerca de 40 por cento das receitas e a compostagem de verdes com uma faturação de cerca de 100 mil euros.

A par da entrada em funcionamento da central de valorização orgânica de São Brás de Alportel, a empresa coloca entre as obras prioritárias para este ano a construção de uma estação de tratamento mecânico no aterro do Barlavento.

Aquele responsável adiantou que a empresa pretende aproveitar os fundos comunitários dedicados ao programa do Plano Estratégico para os Resíduos Sólidos Urbanos (PERSU) 2020 para acrescentar à estação do Barlavento o equipamento de tratamento biológico que irá permitir recuperar a matéria orgânica e valorizá-la em termos de composto.

A introdução da componente para a recuperação e biogás nesta estação é uma possibilidade que a empresa ainda está a estudar.

Pub