Pub

Foto © Samuel Mendonça
Foto © Samuel Mendonça

Os centros paroquiais de Cachopo, Martim Longo e Vaqueiros estão este ano a promover formação eclesial conjunta para os respetivos trabalhadores.

“Para além da formação técnica para os serviços que os nossos colaboradores, diariamente, desenvolvem, achámos importante também ter uma componente de formação mais eclesial”, explicou o diácono Albino Martins, presidente das três instituições, ao Folha do Domingo.

A primeira iniciativa teve lugar no Centro Paroquial de Martim Longo no dia 25 do passado mês de fevereiro, tendo sido orientada pelo padre Carlos de Aquino sobre dois documentos do Papa Bento XVI: a carta apostólica sobre a forma de Motu Proprio ‘Intima ecclesiae natura’ (A natureza íntima da Igreja) sobre o serviço da caridade e a sua primeira encíclica ‘Deus caritas est’ (Deus é amor).

O segundo encontro formativo teve lugar no Centro Paroquial de Cachopo no passado dia 21 de abril, tendo sido orientada pelo padre Domingos da Costa sobre o tema “As obras de Misericórdia”.

Foto © Samuel Mendonça
Foto © Samuel Mendonça

Na iniciativa, o sacerdote, que se referiu sobretudo à misericórdia como fonte do trabalho social e sociocaritativo da Igreja, defendeu que o futuro dos centros paroquiais, criados por padres na segunda metade do século XX, dependerá dos leigos (entenda-se não clérigos ou religiosos). “É preciso formar leigos. Não creio que esteja a ser preparado esse caminho, mas penso que é um mal geral em todas as dioceses de Portugal”, afirmou o orador, advertindo que aquelas instituições correm o risco de perda de identidade cristã se não fizerem esta aposta.

O terceiro e último encontro de formação terá lugar no Centro Paroquial de Vaqueiros sobre o capítulo IV da exortação apostólica do Papa Francisco ‘Evangelii Gaudium’ (A Alegria do Evangelho) e será orientada pelo padre Flávio Martins para os 68 trabalhadores (42 do Centro Paroquial de Cachopo, 21 do Centro Paroquial de Vaqueiros e 24 do Centro Paroquial de Martim Longo).

Pub