Pub

Em abono de uma tradição cuja origem se perde na memória dos tempos, os charoleiros reúnem-se um pouco por todo o Algarve em grupos de 15 a 20 cantadores que vão pelas ruas de castanholas em riste, ao som de ferrinhos, cavaquinhos, pandeiros e acordeões, a espalhar mensagens de esperança para o novo ano.

A tradição começou no Dia de Reis (na sexta-feira), mas tem o seu ponto alto no domingo, quando grupos de toda a região confluírem para as principais cidades do sotavento algarvio, onde se realizam festivais a que assistem milhares de pessoas.

Carlos Gago, médico de profissão e charolista “de coração” canta há quase 50 anos e há 37 que faz parte do grupo de cantares A Democrata, da freguesia de Santa Bárbara de Nexe, no concelho de Faro.

“Neste tipo de cantares há dois grupos distintos: os que cantam versos de louvor ao Deus Menino e aos Reis Magos – os chamados cantos religiosos – e os grupos que cantam de improviso, em jeito mordaz, quadras alusivas às pessoas que visitam e a acontecimentos marcantes da região ou do ano que passou”, explica o cantador.

Os grupos vão pelas ruas, sobretudo nas aldeias do interior algarvio, a cantar e a animar as populações, a quem desejam paz e prosperidade.

Antigamente eram as casas mais abastadas que recebiam estes grupos, oferecendo-lhes alguns petiscos, enchidos, vinho e sobras do Natal, mas hoje em dia as atuações acontecem nas praças centrais das aldeias, nos cafés e restaurantes, em lares de terceira idade e nos locais onde se realizam festivais de charolas, observa Carlos Gago.

“Há quem diga que os grupos de cantares religiosos, que andam com a charola – uma caixa de esmolas com a figura do Menino Jesus – são os charoleiros e que nós, que cantamos mais de improviso, somos os janeireiros. É uma teoria entre muitas”, conta o médico charoleiro.

Cumprindo a tradição de dar as boas vindas ao novo ano ao som das charolas, o município de Faro organiza no domingo, às 14:30, no Teatro das Figuras, a 31.ª edição do Encontro de Charolas da Cidade de Faro, com a participação de 12 grupos do concelho.

Em São Brás de Alportel o programa de valorização das tradições musicais ‘Charolas, a Força da Tradição’ regressa às ruas para celebrar o nascimento do Deus Menino e hoje, pelas 10:30, o Mercado Municipal vai ser palco de um espetáculo destes cantares.

Também no concelho de Tavira a tradição volta a cumprir-se com a realização de encontros de charolas nas freguesias da Conceição, Luz de Tavira, Santa Luzia, Santa Catarina da Fonte do Bispo e Santo Estêvão.

A programação encerra no dia 08 de janeiro com o 27.º Festival de Charolas da Cidade de Tavira, às 15:00, no Cine-Teatro António Pinheiro.

Folha do Domingo/Lusa
Pub