Pub

O corso, que deveria durar entre as 15:00 e as 18:00, acabou por ser cancelado a meio, quando os inofensivos chuviscos se transformaram em chuva mais forte, fazendo as pessoas dispersar.

A manter-se a chuva e o mau tempo, a organização do evento pondera mesmo não fazer sair os carros alegóricos na segunda e terça feiras, disse à Lusa fonte da Câmara de Loulé, que organiza o desfile há 75 anos.

O Carnaval de Loulé, um dos mais antigos do País, com corso organizado há 104 anos, teve este ano como "rainha" a propalada "crise", mas é o "Mundo do Espectáculo" que dá o mote à decoração dos carros.

Sem estrelas da televisão ou da moda a entronar a festa, este ano a organização do Carnaval de Loulé apostou na "prata da casa" e convidou algumas associações locais a desfilar os seus fatos e exibir as suas coreografias.

Um total de quinze carros alegóricos alusivos ao mundo do espetáculo desfilou na principal artéria da cidade, com uma decoração alusiva ao fado, ao ilusionismo e a outros ramos artísticos, como o cinema.

Numa alusão ao filme norte-americano "Avatar", um grupo ostentava corpos azulados e orelhas pontiagudas, à semelhança dos alienígenas retratados naquele filme, em exibição nas salas de cinema.

A sátira política também nunca falta no Carnaval de Loulé e teve este ano nos principais papéis o primeiro ministro, José Sócrates, junto a um enorme lápis azul e a sua "inimiga" Manuela Moura Guedes.

Com um orçamento de 400 mil euros, o Carnaval de Loulé envolve cerca de 150 pessoas na decoração dos carros alegóricos e mais de 700 no programa de animação, entre figurantes, músicos e animadores.

Os restaurantes e hotéis da zona costumam encher por esta altura, disse à Lusa o responsável pela organização, Júlio Guerreiro, sublinhando que há muitos grupos de visitantes espanhóis e do norte do País.

Habitualmente, e se o tempo ajuda, passam pelo Carnaval de Loulé durante os três dias de evento entre 90 a 100 mil pessoas.

Este ano os lucros serão entregues à Instituição de Solidariedade Social da Serra do Caldeirão.

Lusa

Clique na foto para vê-la maior

Pub