Pub

Deste total de dirigentes e caminheiros votantes, 97 votos (40,2%) foram para a lista B, que tinha o chefe Jorge Miguel da Encarnação como candidato a chefe regional, tendo havido ainda 2 boletins em branco (1%) e 3 nulos (1,2%).

A abstenção neste acto eleitoral cifrou-se nos 26,7%.

O chefe José João Cercas volta reiterar que a prioridade da sua acção deverá ser em prol da união da região escutista algarvia. Confrontado com a primeira medida que irá tomar como chefe regional eleito, explicou à FOLHA DO DOMINGO, que irá ser a preparação do Dia de BP a realizar-se em Faro.

Muitos foram ainda os agrupamentos que exerceram o seu direito de voto por via postal, sendo que 137 votos chegaram por essa via.

Responsável e formador do CNE, o chefe José João Cercas já fez parte de várias Juntas Regionais do Algarve.

Para além do chefe regional eleito, a futura Junta Regional do Algarve do CNE será constituída por Maria José Leote, chefe regional adjunta, e por Manuel Bastos, João António Marques, Rosalinda Lourenço e João Pedro Calão, todos secretários regionais.

A Comissão Eleitoral Regional teve como presidente o chefe António de Jesus, que salientou a “postura dos delegados de ambas as listas” no processo eleitoral e lançou o apelo para que “todos tomem a responsabilidade de elevar o CNE, mais propriamente a região do Algarve, a atingir a projecção que merece”.

A Junta Regional eleita toma posse no próximo dia 27 deste mês em Faro, em celebração eucarística, presidida pelo Bispo do Algarve, a realizar-se provavelmente na Escola EB 2.3 dr. Joaquim Magalhães, embora o local ainda não esteja certo.

Samuel Mendonça

Clique na foto para vê-la maior

Pub