Pub

Em entrevista à Agência Ecclesia, a responsável refere que o documento “tem na base o facto de o CNE ser uma associação cristã”. Nesse sentido, o projecto pretende que as crianças e os jovens cresçam na fé”, com o “exemplo” dos dirigentes e o apoio das comunidades católicas.

O texto ratificado no Conselho de Representantes, que se reuniu em Fátima a 21 e 22 de Novembro, aperfeiçoa a dimensão da “mística e simbologia”, através da atribuição de novos patronos às secções.

As invocações de São Tiago e São Pedro passarão a abençoar os Exploradores e os Pioneiros, respectivamente.

O programa contempla uma abordagem “mais personalista” ao sistema de progresso no Escutismo. As crianças e jovens terão a possibilidade de “negociar” os objectivos de desenvolvimento com os dirigentes e poderão concretizar essas metas com tarefas a realizar fora do contexto do agrupamento.

Este ano o CNE reforçará a transmissão de novos conhecimentos e competências aos seus responsáveis, para que em Outubro de 2010 todos os agrupamentos estejam em condições de aplicar as directrizes estabelecidas pelo Conselho Nacional de Representantes.

“Temos cerca de 11 mil adultos voluntários que trabalham todas as semanas com as nossas crianças e jovens; essas pessoas irão receber formação adequada para implementar o programa educativo”, explicou Carla Simões.

O plano recorda que a finalidade do Corpo Nacional de Escutas é a “educação integral de crianças e jovens de ambos os sexos”, em conformidade com a pedagogia concebida pelo fundador do Escutismo – Baden-Powell – e os ensinamentos de Cristo, “segundo a doutrina da Igreja Católica Romana”, que o CNE “professa, assume e difunde”.

Pub