Inicio | Sociedade | Comissão de Utentes da Via do Infante apela aos algarvios para não pagarem portagens

Comissão de Utentes da Via do Infante apela aos algarvios para não pagarem portagens

“Os algarvios e outros cidadãos deverão, para já, enveredar por formas de luta como a desobediência civil, não comprando os dispositivos de cobrança e não pagando a Via do Infante – que já está paga -, pelo menos, numa primeira fase, provocando assim o entupimento do sistema. Ou então, boicotar a Via do Infante, não circulando nesta via, demonstrando que a EN 125 não representa qualquer alternativa credível”, defendeu a Comissão.

Num comunicado divulgado hoje, a Comissão de Utentes da Via do Infante, uma das quatro SCUT que começaram a ter portagens na quinta-feira, considerou que “o dia 08 de dezembro de 2011 é um dos dias mais negros na história e na vida do Algarve e dos algarvios devido à imposição de portagens” e insistiu nos efeitos negativos que a medida tem para o turismo.

“Com as portagens, milhares de vizinhos espanhóis e outros estrangeiros vão deixar de visitar o Algarve, havendo já indícios nesse sentido. Tal facto contribuirá para a catástrofe social e económica da região. O que se passou com estes visitantes no primeiro dia de cobrança, com as máquinas avariadas, devia cobrir de vergonha os nossos governantes”, referiu a Comissão.

Em causa está uma máquina que a empresa Estradas de Portugal colocou no Parque de Fronteira junto à Ponte Internacional do Guadiana, no início da A22, para que os espanhóis pudessem ter forma de pagar a portagem, mas uma avaria impediu que isso acontecesse, levando muitos turistas a criticarem a medida e a forma de pagamento escolhida para a A22.

A Comissão de Utentes recordou que o Algarve está “a viver uma das maiores crises de que há memória e, irá sucumbir irremediavelmente se as portagens não forem anuladas”, uma vez que muitas empresas vão falir, o desemprego vai aumentar, “o Turismo irá sofrer uma estocada mortal” e a EN 125 irá voltar a “transformar-se de novo na ‘estrada da morte’”, devido ao aumento do tráfego deixará de circular na A22.

Responsabilizou ainda o atual governo de coligação PSD/CDS-PP, o anterior executivo PS, o Presidente da República, Cavaco Silva, assim como os políticos regionais do PS, PSD e CDS/PP por terem estado na origem da cobrança de portagens, que qualificou como “maldade e injustiça cometidas contra o Algarve”.

Apesar de a sua luta ao longo de meses não ter impedido o início das portagens na autoestrada que liga Vila Real de Santo António a Lagos, a Comissão de Utentes da Via do Infante assegura que “não vai baixar os braços”.

Um total de 2.924 identificadores para autoestradas foi vendido entre 29 de novembro e as 10:00 de hoje nas lojas Via Verde, segundo informações dadas à Lusa pela Brisa.

Na loja de Viseu foram comercializadas 922, na de Castelo Branco 458, em Faro 824, em Tavira 358 e em Portimão 362 dispositivos.

Nas contas finais faltam, os identificadores adquiridos nos CTT, pela Internet e em vários parceiros, como o Automóvel Clube de Portugal.

Desde quinta-feira, que todas as autoestradas nacionais são pagas, com a introdução de portagens na A22, A23, A24 e A25.

Lusa

Verifique também

PJ detém militar suspeito de abusar sexualmente de menor no concelho de Tavira

A Polícia Judiciária (PJ) anunciou hoje a detenção, na quinta-feira, de um militar de 25 …