Pub

Os estatutos do Caminho Neocatecumenal foram aprovados definitivamente em 11 de Maio de 2008 pela Santa Sé já no pontificado de Bento XVI. Anteriormente, já João Paulo II definira a natureza do Caminho Neocatecumenal “como um itinerário de formação católica, válida para a sociedade e para os tempos de hoje”.

O Caminho Neocatecumenal destina-se, em primeiro lugar, a proporcionar a baptizados uma iniciação cristã pós-baptismal em pequenas comunidades (neocatecumenais), ordinariamente de base paroquial. O exigente itinerário de formação católica, fundado em Espanha por Kiko Argüello e Carmen Hernández, chegou ao Algarve em 1976 e a Sé de Faro foi a primeira paróquia a acolher uma comunidade neocatecumenal. Seguiram-se Loulé, Quarteira e Portimão. Actualmente existem em quatro paróquias: São Pedro de Faro (4 comunidades), Vila Real (1 comunidade), Monte Gordo (3 comunidades) e Portimão (3 comunidades).

Na Sé de Faro, o Bispo do Algarve começou por destacar o Caminho Neocatecumenal como um “dom que o Espírito Santo concedeu à Igreja”. D. Manuel Quintas pediu mais tarde aos membros das comunidades neocatecumenais que se tornem “pescadores de águas profundas”. Lembrando que “somos todos chamados como anunciadores da Palavra a partir do nosso Baptismo”, o Bispo diocesano lançou o apelo. “Cristo quer-nos «pescadores» de águas profundas”, afirmou, advertindo que “é muito fácil ser «pescadores» de águas que não chegam ao tornozelo ou ao joelho, mas também corremos o risco de «pescar peixes» que já foram pescados”. “É no «mar alto» que acontece a «pesca milagrosa»”, acrescentou ainda.

Procurando elucidar o sentido do discurso metafórico, D. Manuel Quintas considerou que “é preciso ajudar a redescobrir a fé e o Baptismo”. “Gostaria que esta Eucaristia constituísse para todos nós um apelo muito grande a sermos pescadores no mar alto, no meio do mundo, inseridos na sociedade. É aí que somos chamados a anunciar o Evangelho”, indicou o prelado, fazendo apelo ao empenho de todos “sempre mais na evangelização, no anúncio do Evangelho, através do anúncio da Palavra, mas também do testemunho de vida”, não apenas ao nível pessoal, mas das comunidades.

Em referência ao tripé em que se fundamenta o Caminho Neocatecumenal – Palavra, Liturgia, e Comunidade –, o Bispo do Algarve sublinhou ser nesses pilares “que se encontra a força impulsionadora do anúncio do Evangelho” que têm em Cristo o seu fundamento e elo unificador.

A Eucaristia, celebrada segundo a liturgia particular do Caminho Neocatecumenal, contou ainda com a participação de Miguel Ángel Vázquez e Hortênsia Jimenez López, responsáveis pelo Centro Neocatecumenal Zona Sul Portugal.

Samuel Mendonça

Clique na foto para ver mais fotos

Pub