Pub

O risco de incêndio determinado pelo IM engloba cinco níveis, que variam entre o "reduzido" e o "máximo” e o seu cálculo é feito com base nos valores observados às 13:00, da temperatura do ar, da humidade relativa, da velocidade do vento e da quantidade de precipitação ocorrida nas últimas 24 horas.

Na quinta feira, a Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) baixou de amarelo para azul o nível de alerta para perigo de incêndios florestais, em todos os distritos, devido à descida das temperaturas que se verificou nos últimos dois dias.

O alerta azul é o segundo menor numa escala de cinco e indica a “existência de condições para a ocorrência de fenómenos com dimensão e magnitude normais”.

Neste nível, o “dispositivo de Protecção Civil e Socorro reforça a monitorização, intensificando as ações preparatórias para as tarefas de redução dos efeitos negativos e dos eventos previstos” e recomenda que a população deve “manter-se informada sobre o evoluir da situação”.

Segundo informação disponibilizada pela ANPC no seu "site", na quinta feira, registaram-se 98 incêndios florestais, sem indicação de área ou ardida ou tipo de vegetação afetada, que foram combatidos por 1235 bombeiros, apoiados por 306 veículos.

O Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Florestais iniciou a “Fase Charlie”, considerada a de maior risco de incêndios, a 01 de julho e deverá terminá-la a 31 de setembro.

Para hoje, o IM prevê céu pouco nublado ou limpo, embora muito nublado no litoral oeste até ao final da manhã.

As temperaturas máximas deverão atingir os 25º no Porto, 30º em Lisboa, 27º em Faro, 23º em Ponta Delgada e 24º no Funchal.

Lusa

Pub