Inicio | Cultura | Concerto de Ano Novo “abre oficialmente” temporada da Orquestra Clássica do Sul

Concerto de Ano Novo “abre oficialmente” temporada da Orquestra Clássica do Sul

Orquestra_classica_sul1A Orquestra Clássica do Sul (OCS), sucessora da Orquestra do Algarve e que se estreou em outubro passado, anunciou que vai iniciar a sua temporada oficial em janeiro próximo com um concerto em Loulé, dirigido pelo maestro Jean-Marc Burfin.

A OCS apresentou-se pela primeira vez no passado dia 04 de outubro, na igreja do Carmo, em Tavira, e “embora em atividade artística desde outubro de 2013, inicia a sua temporada oficial em janeiro de 2014, que decorrerá até dezembro do próximo ano”, acrescentou a orquestra em comunicado.

O concerto de Ano Novo, que abre a temporada, realiza-se no dia 01 de janeiro às 17:30, no Cineteatro Louletano, em Loulé. O programa do concerto, “seguindo a tradição vienense, brinda a chegada de mais um ano com as famosissímas polcas e valsas da família Strauss, nomeadamente a célebre valsa ‘Danúbio Azul’ e a ‘Marcha Radetzky’, que encerra o programa”, disse à Lusa fonte da OCS.

Além das obras da dinastia Strauss, a OCS interpretará também a Dança Húngara n.º 5, de Johannes Brahms, e a “Dança das Horas”, da ópera “La Gioconda”, de Almicare Ponchielli.

O mesmo programa é apresentado no dia 02 de janeiro, às 21:30, no Cineteatro Sousa Telles, em Ourique, no Baixo Alentejo.

Aquando da sua apresentação à imprensa, em setembro passado, Cesário Costa, maestro titular e diretor artístico da OCS, afirmou a intenção de a orquestra, além do Algarve (onde tem a sua sede), se apresentar no Alentejo, Península de Setúbal e na Andaluzia.

No ano de 2014 a OCS prevê também deslocar-se a Angola, anunciou Cesário Costa.

Entre as várias iniciativas para esta temporada, o maestro e diretor artístico anunciou a realização de um concurso internacional de Jovens Maestros, um outro para Jovens Solistas, destinado aos estudantes do sul de Portugal e de Espanha, e um “atelier” para novos compositores dirigido por António Pinho Vargas, a quem a OCS encomendou uma peça que irá estrear.

O maestro Jean-Marc Burfin, que vai dirigir a OCS em Loulé e Ourique, é atualmente professor na Academia Nacional Superior de Orquestra da Metropolitana, em Lisboa, e maestro titular da respetiva Orquestra Académica. Obteve em 1987, por unanimidade, o 1.º prémio de direcção de orquestra na classe de Jean-Sébastien Béreau, no Conservatório Nacional Superior de Música de Paris, e, no mesmo ano, em julho, a convite de Leonard Bernstein, dirigiu a Orquestra Sinfónica de Paris.

Burfin frequentou “masterclasses” orientadas por Franco Ferrara, Charles Bruck, Pierre Boulez e Vitaly Kataev e é diplomado pela Academia de Verão do Mozarteum, em Salzburgo, na Áustria.

Em 1991 Jean-Marc Burfin foi finalista laureado do Concurso Internacional de Jovens Diretores de Orquestra de Besançon, em França, e recebeu um prémio especial da Orquestra da Rádio-Televisão de Moscovo.

O maestro francês dirigiu várias orquestras no seu país natal e também a Potsdam Phillarmonie, Würtembergische Phillarmonie e a Sinfónica de Oviedo, entre outras. Na temporada de 2003/04 foi diretor artístico da Orquestra Metropolitana de Lisboa.

Verifique também

“Eu não tenho nada (…) eu não devo nada”

Encarar uma situação má na nossa vida com sentido de humor, normalmente só acontece passado …