Inicio | Cultura | Concerto “Sons e perfumes” promete experiência sensorial na sexta em Tavira

Concerto “Sons e perfumes” promete experiência sensorial na sexta em Tavira

Conduzir o espetador numa experiência sensorial que liga a audição e o olfato é a proposta do concerto “Os sons e os perfumes”, com a estreia, na sexta-feira, da obra “Sillages”, na igreja do Carmo, em Tavira.

Composta por Bruno Soeiro por encomenda da Orquestra Clássica do Sul (OCS), a obra é caracterizada pelo facto de cada andamento ser inspirado em uma fragrância, descreveu à Lusa o maestro titular da orquestra, Rui Pinheiro.

“Os andamentos vão ser efetivamente acompanhados pela própria perceção sensorial dos perfumes”, explicou Rui Pinheiro, acrescentando que vai ser distribuído pelo público uma fita perfumada para cada andamento.

No concerto, integrado na programação do Festival Internacional de Música do Algarve (FIMA), serão interpretadas as obras “Sillages”, palavra que pode ser traduzida como “rasto” (de perfume), mas também a Sinfonia “Pastoral” de Beethoven.

Apesar de as obras terem uma diferença de 210 anos, têm vários pontos comuns, já que foi o compositor germânico que, pela primeira vez, na Sinfonia nº 6, também conhecida como “Pastoral”, introduziu elementos não musicais numa obra clássica.

Já o compositor português Bruno Soeiro, para criar a obra “Sillages”, que associa os sons ao cheiro dos perfumes, inspirou-se nas várias categorias de fragrâncias: fresco, floral, oriental e amadeirado.

No entanto, segundo Rui Pinheiro, a presença da ligação entre a música e outras formas de artes na 33.ª edição do Festival Internacional de Música do Algarve, que começou em março, não se esgota aqui.

A 12 de maio, o FIMA muda-se para um palco montado na garagem do hotel Conrad Algarve, na Quinta do Lago (Loulé), para o concerto “Underground Wine Melodies” que harmoniza a música clássica e a degustação de vinhos.

No dia 18 de maio, na Universidade do Algarve, em Faro, é a vez de explorar a ligação da música com o teatro no concerto “A História do Soldado”, com música de câmara da Orquestra Clássica do Sul e narração de Diogo Infante.

O FIMA encerra a 24 de maio no Teatro Municipal de Faro, com o concerto “As Mil e uma Noites”, de Stravinsky, pela Orquestra Clássica do Sul, dirigida pelo maestro Peter Stark, com a solista Francesca Dego (Itália) no violino.

Ao todo, a edição deste ano do FIMA levará 15 espetáculos a nove localidades algarvias, durante três meses.

Verifique também

Mário Cláudio recebe em Loulé o Grande Prémio de Crónica e Dispersos Literários

O escritor Mário Cláudio recebe hoje, em Loulé, o Grande Prémio de Crónica e Dispersos …