Pub

Numa resposta enviada aos deputados do PSD e datada de 22 de setembro, o chefe de gabinete do ministro da Saúde, Luís Vitório, afirma que, quando o Governo tomou posse, “encontrava-se a decorrer a fase de negociação com o concorrente Teixeira Duarte, ao qual foi concedido adiamento da data para apresentação da BAFO [melhor oferta final]”.

A nova data de entrega da proposta, segundo o Ministério da Saúde, “ainda não foi fixada pela Comissão de Avaliação de Propostas”, sendo que o Ministério acrescenta que, “sendo desejável cumprir os compromissos assumidos, no quadro do Memorando de Entendimento (…), será necessário avaliar a possibilidade de concluir os procedimentos atualmente em curso, em função da disponibilidade financeira”.

No final de agosto, o ministro da Saúde, Paulo Macedo, classificou o projeto de criação do Hospital Central do Algarve como uma “prioridade nacional”, mas assumiu que o Governo não tinha encontrado “enquadramento financeiro” para o lançamento da obra.

"O Hospital do Algarve é uma prioridade nacional. Dito isto, é preciso haver enquadramento, não podemos é ter prioridades para as quais não há financiamento", afirmou, na altura, Paulo Macedo.

O Hospital Central do Algarve é uma Parceria Público-Privada (PPP) e deverá ser instalado no complexo do Parque das Cidades, entre Faro e Loulé, junto ao Estádio Algarve, onde existe já o Laboratório Regional de Saúde Pública.

O hospital faz parte de uma lista de parcerias que está a ser analisada pelo Governo, tendo em conta a análise entre o custo e o benefício, e sujeita à disponibilidade orçamental.

Lusa

Pub