Breves
Inicio | Sociedade | Congresso das Misericórdias portuguesas em Albufeira para debater os desafios do setor social

Congresso das Misericórdias portuguesas em Albufeira para debater os desafios do setor social

O XIII Congresso Nacional das Misericórdias arranca hoje em Albufeira, sob o tema “Missão, Rigor e Compromisso”, com a participação de mais de 700 participantes e representantes daquelas instituições de todo o país.

A iniciativa, organizada pela União das Misericórdias Portuguesas (UMP), em articulação com o Secretariado Regional da UMP em Faro, decorre de 7 e 10 de fevereiro, no Palácio de Congressos do Algarve e vai contar com vários painéis temáticos e com a presença de diversas individualidades representantes da sociedade civil, políticos e empresários para debater sobre o panorama e os principais desafios do setor social, incidido em temas relacionados com o envelhecimento da população, o papel da economia social, a sustentabilidade das Misericórdias, a cooperação e a relação com o Estado, o contributo das Santas Casas para o desenvolvimento do território nacional, o impacto da Lei de Bases da Saúde, entre outros.

O programa tem início hoje, pelas 14h30, com a eucaristia presidida pelo bispo do Algarve, D. Manuel Quintas, na igreja matriz de Albufeira, após a concentração no Palácio de Congressos do Algarve.

Depois da celebração será feito o desfile das irmandades até à Câmara Municipal de Albufeira para o regresso ao local do congresso, onde a sessão de abertura, presidida pelo primeiro-ministro António Costa, está marcada para as 17h30. O ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Vieira da Silva, apresentará uma “oração de sapiência”, dedicada ao tema “O papel do setor social no desenvolvimento das políticas sociais no Estado Português”.

A cerimónia contará também com a presença do presidente da Câmara Municipal de Albufeira, José Martins Rolo, do presidente da Assembleia-Geral da UMP, Silva Peneda, e do presidente da UMP, Manuel de Lemos.

O segundo dia do congresso vai ficar marcado pela diversidade de debates como “Envelhecimento – um futuro comum”, que terá como oradores Pedro Mota Soares (deputado do CDS-PP) e Sandra Pais (investigadora da Universidade do Algarve); “Turismo e património nas Misericórdias”, com Francisco Serra (presidente da CCDR do Algarve) e Jorge Rebelo de Almeida (presidente do grupo Vila Galé); “Uma fiscalidade para a economia social – sustentabilidade das Misericórdias”, com António Mendonça Mendes (secretário de Estado dos Assuntos Fiscais) e Dulce Mota (vice-presidente do Montepio); “Tutela e cooperação: um desafio permanente”, com Cláudia Joaquim (secretária de Estado da Segurança Social) e do padre Lino Maia (presidente da CNIS – Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade); “As Misericórdias e o Estado: que presente e futuro”, com António Tavares (provedor da SCM Porto), Nuno Melo (deputado ao Parlamento Europeu CDS-PP) e Ana Catarina Mendes (deputada do grupo parlamentar do PS); e “As Misericórdias agentes de desenvolvimento no território”, com Jorge Botelho (presidente da Associação de Municípios do Algarve), Jorge Coelho (vice-presidente da Mota-Engil) e Álvaro Amaro (presidente da Câmara Municipal da Guarda).

O dia terminará com o painel “Economia Social”, presidido por Vitor Melícias (presidente honorário da UMP), com Tomás Correia (presidente Associação Mutualista Montepio), Luís Reto (ex-reitor ISCTE) e Eduardo Graça (presidente CASES).

No sábado, 9 de fevereiro, o dia de trabalhos abordará temas como “Novas Tecnologias na Prestação de Cuidados às Pessoas Idosas” com Humberto Carneiro, provedor da Misericórdia da Póvoa de Lanhoso e Manuel Eanes, administrador executivo da NOS; “Transparência e Rigor – Instrumentos Fundamentais de Gestão” com João Vieira Pereira, diretor adjunto do jornal Expresso, Nuno Mota Pinto, vogal executivo do Montepio e Luís Menezes, diretor-geral da UNILABS Portugal; “Apoio Domiciliário Medicalizado – Um Paradigma de Modernidade” com Helena Bárrios, adjunta da direção clínica do Hospital do Mar e Lia Fernandes, professora associada da Universidade do Porto; “Profissionalização e Misericórdia – Um Desafio para Quadros Técnicos” com Nuno Gomes, diretor-geral da Misericórdia de Arganil e Zélia Reis, diretora coordenadora da Misericórdia de Trofa; “O Papel das Misericórdias na Lei de Bases da Saúde” com Miguel Guimarães, bastonário da Ordem dos Médicos, Maria de Belém Roseira, ex-ministra da Saúde e Eurico Castro Alves, presidente comissão organizadora da Convenção Nacional Saúde.

Após o debate e avaliação dos trabalhos, a sessão de encerramento do Congresso Nacional das Misericórdias, pelas 17h00, será presidida pelo presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

Verifique também

Fogo em Tavira obriga a cortar Via do Infante, mas trânsito já reabriu

Um incêndio florestal deflagrou hoje na zona da Eira da Palma, em Tavira, no Algarve, …