Pub

Portimão reforçou hoje a campanha de sensibilização da população e comerciantes para conter a disseminação do Covid-19, num concelho que tem já cinco casos confirmados, revelou hoje a presidente da Câmara.

“Face à situação que vivemos, com cinco casos confirmados da doença, dois dos quais por transferência secundária, impõe-se tomar medidas para sensibilizar a população e agentes económicos para evitar a propagação da doença”, disse aos jornalistas Isilda Gomes, durante a apresentação da campanha que decorreu no edifício da Câmara.

De acordo com a autarca, os dois casos, que eleva para cinco o número de infetados no concelho algarvio, “foram confirmados hoje pelas autoridades de saúde”.

A campanha, que tem como lema “Seja responsável – Faça a sua parte e siga as recomendações”, pretende sensibilizar os cidadãos em geral para “travar a epidemia de Covid-19, com informação porta a porta.

“Queremos fazer um apelo muito forte e levar a informação às pessoas, através de material informativo, pedindo que se adotem medidas eficazes e para que as pessoas permaneçam em casa e só saiam em caso de necessidade”, apontou a autarca.

Para Isilda Gomes, é importante que os alunos dos estabelecimentos escolares que estejam encerrados permaneçam em casa e que as pessoas evitem deslocações e passeios para fora do concelho, e que efetuem saídas estritamente necessárias”.

A autarca considera que “todas as medidas para conter a epidemia do Covid-19 são importantes, defendendo nos estabelecimentos de restauração distâncias de segurança entre mesas de um a dois metros, bem como a disponibilidade de sabonete líquido e/ou gel desinfetante a todos os clientes”.

Além da restauração, “também os ginásios devem interromper a atividade ou reduzir o número a 10 praticantes em simultâneo por espaço, devendo o comércio local admitir apenas um máximo de 10 pessoas no seu interior, e nas grandes superfícies é recomendável que se evitem as aglomerações de pessoas, e que os super e hipermercados garantam linhas de caixa com margens de segurança e desinfetantes para uso público”, defendeu a autarca.

A presidente da Câmara de Portimão acrescentou que as medidas para conter a propagação do Covid-19 “passam também pelo encerramento às 23:00 de bares e estabelecimentos de diversão noturna”, alegando que se não foram tomadas “medidas corajosas por um período limitado, a economia local poderá ser afetada muito para além do verão”.

“Esta é uma situação altamente preocupante, um problema que temos em mãos e ao qual precisamos de reagir com coragem, porque se não o conseguirmos estancar poderá arrastar-se pelo verão e aí a economia cairá drasticamente”, apontou.

Isilda Gomes recordou que a mitigação da doença passa “pela responsabilidade individual de cada pessoa, no respeito pelas diretrizes das autoridades de saúde, e a confiança nos profissionais e no Serviço Nacional de Saúde, evitando que se entre em paranoia”.

Segundo a autarca, esta campanha “com medidas em recomendações importantes”, junta-se a outras que foram ativadas, com a operacionalização de planos de contingência para todos os serviços municipais, o encerramento dos edifícios municipais de cariz desportivo e cultural e suspensão das atividades até ao dia 31 de março.

Isilda Gomes disse ainda que eventuais encerramentos de escolas públicas e privadas, além dos dois estabelecimentos de ensino público já encerrados, “passam pela avaliação e recomendação feita pelas autoridades de saúde pública”.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou a doença Covid-19, provocada pelo novo coronavírus, que surgiu na China em dezembro de 2019, como pandemia.

O número de casos confirmados de infeção pelo novo coronavírus, que causa a doença Covid-19, subiu para 78 em Portugal, mais 19 do que os contabilizados na quarta-feira, anunciou hoje a Direção-Geral da Saúde (DGS).

De acordo com o boletim sobre a situação epidemiológica em Portugal, há 637 casos suspeitos, dos quais 133 aguardam resultado laboratorial.

Segundo a DGS, há ainda 4.923 contactos em vigilância pelas autoridades de saúde.

As medidas já adotadas em Portugal para conter a pandemia incluem, entre outras, a suspensão das ligações aéreas com a Itália, a suspensão ou condicionamento de visitas a hospitais, lares e prisões, e a realização de jogos de futebol sem público.

Em todo o mundo, o novo coronavírus já infetou mais de 124 mil pessoas e provocou mais de 4.500 mortos.

Pub