Pub

José Carlos Barros explicou que "o dia 13 de maio é a data da festa da cidade e da sua inauguração, que é um termo pouco habitual para as cidades, mas Vila Real de Santo António (VRSA) tem essa característica de ter sido projetada de raiz, com base num projeto político e económico".

O autarca recordou que "em 1774, Vila Real de Santo António começou a ser construída e em 1776 foi inaugurada, a 13 de maio, data do aniversário do Marquês de Pombal, responsável pelo projeto, o que mostra o quanto ele o acarinhava".

José Carlos Barros disse ainda que o dia da cidade costuma ser uma data de celebração com o envolvimento das associações, das escolas e do município e nesse dia "vão ser realizadas várias inaugurações que demonstram o grande investimento que tem sido feito, sobretudo na educação, com duas escolas (EB1 de Monte Gordo e de Santo António) e um Atelier de Tempos Livres (ATL)".

O vice-presidente destacou também a inauguração de uma nova ala das piscinas municipais, com corredores de 50 metros, que vai servir o complexo desportivo local e dar hipótese de preparação para atletas na distância olímpica.

"O cortejo histórico e etnográfico será o momento alto, com intervenção dos munícipes que desfilarão pelas ruas da cidade, numa iniciativa em que se pretende trazer quadros que têm a ver com a história da cidade desde o século XVIII", afirmou o autarca.

As comemorações do dia da cidade não se esgotam sexta-feira, estando, segundo o autarca, marcada para 17 de maio a apresentação do 8.º Congresso Internacional de Cidades e Entidades do Iluminismo, "que vai ter lugar em outubro, vai envolver cidades de todo o Mundo que estão relacionadas de uma maneira ou outra com este período e será um momento central de discussão sobre a requalificação dos centros históricos".

Lusa

Pub