Pub

A Santa Casa da Misericórdia de Loulé e a Fundação António Aleixo foram contempladas com a primeira remessa de alimentos, cultivados por um reformado responsável pela vigilância das hortas e outros trabalhos num talhão reservado a atividades educacionais.

O talhão em causa tem como propósito cultivar alimentos destinados ao apoio social e iniciar os alunos de uma escola primária da cidade no cultivo, contou Aníbal Moreno.

“Neste espaço os alunos começam hoje a cultivar produtos que daqui a algumas semanas vão utilizar para confecionar as suas refeições”, comentou Aníbal Moreno.

A área reservada pela autarquia para as hortas sociais foi dividida em 20 talhões, cada um com cerca de 30 metros quadrados, atribuídos a munícipes, em especial aos mais carenciados, que desta forma têm possibilidade de cultivar e usufruir de alimentos frescos produzidos pelos próprios, lê-se no comunicado divulgado pela autarquia.

O trabalho destas hortas sociais está a promover uma nova dinâmica e os responsáveis autárquicos dizem constatar uma elevada partilha de conhecimentos e troca de produtos agrícolas entre os vários hortelãos.

A Santa Casa da Misericórdia e a Fundação António Aleixo fornecem diariamente uma média de 130 refeições a pessoas carenciadas do concelho.

Lusa

Pub