Pub

O bispo do Algarve realçou esta manhã, na eucaristia a que presidiu no oratório da casa episcopal em Faro, que Jesus é a “luz” “que ilumina as situações mais densas da vida do mundo de hoje”.

“Iluminados por Cristo ressuscitado seremos reflexo dessa luz no mundo de hoje que atravessa um túnel marcado por densa escuridão e cujo fim se desconhece”, acrescentou D. Manuel Quintas, exortando à esperança de que “essa luz brilhe no fundo do túnel”. “Sabemos e devemos pedir ao Senhor que nos ajude, à luz da fé, a transformar esta esperança em certeza. Cristo é luz também dentro do túnel. Sabemos, à luz da fé, que a luz ilumina todos os túneis que temos de atravessar ao longo da nossa vida”, sustentou.

O bispo diocesano disse ser este o momento de se encontrar a força que talvez falte a muitos em tantas circunstâncias, “sobretudo aqueles que se vêem marcados e atingidos, ou pessoalmente ou na sua família, pelo contágio deste vírus”. “Não podemos desistir, não podemos desanimar”, pediu na eucaristia transmitida em direto na internet.

“A palavra que hoje escutámos deve constituir um encorajamento nessa luta, nessa perseverança no compromisso que todos devemos assumir em fazer tudo o que está ao nosso alcance para cada um de nós colaborar à sua maneira, a seu modo, para que possamos minorar os efeitos nefastos que este vírus está a causar em todo o mundo e, concretamente, também no nosso país”, complementou.

“Peço-vos que acolhais, sobretudo, Cristo que entra na vossa casa, na vossa vida”, prosseguiu D. Manuel Quintas, que começou por lembrar os falecidos, os seus familiares, os infetados e os que cuidam das vítimas do novo coronavírus (covid-19).

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

O responsável católico pediu ainda a Deus que “fortaleça os profissionais de saúde na sua missão realizada com exemplar dedicação e generosidade”. “Também queremos louvar o Senhor por todos aqueles que, atingidos por este vírus, já recuperaram a saúde. “Gostaria que nos interrogássemos se estamos todos a fazer aquilo que podemos e aquilo que devemos para não nos deixarmos contagiar, nem contagiarmos outros”, acrescentou.

D. Manuel Quintas recordou a oração nacional, anunciada pela Conferência Episcopal Portuguesa para o próximo dia 25 de Março, com a recitação do terço às 18h30 em Fátima, seguida da renovação da consagração de Portugal ao Sagrado Coração de Jesus e ao Imaculado Coração de Maria. “Poderemos estar presentes espiritualmente, acompanhando este ato através dos meios de comunicação social que o transmitirão. É certamente um momento de oração que gostaríamos que fosse de toda a Igreja em Portugal, de todos os católicos, de todos os homens de boa vontade”, afirmou.

A terminar, o bispo do Algarve lembrou que os párocos das paróquias algarvias “continuam a sofrer e a ansiar o dia” em que possam novamente reunir-se, rezar e celebrar junto dos seus paroquianos “com alegria a eucaristia dominical”.

Pub