Pub

A Câmara de Faro disponibilizou 25 camas ao Centro Hospitalar Universitário do Algarve (CHUA) para reforçar o acolhimento a doentes com covid-19, em resposta a uma solicitação das autoridades, anunciou a autarquia.

“Na sequência de uma solicitação do CHUA ao Posto de Comando Distrital para apoio na ampliação da capacidade de acolhimento de doentes Covid-19, o Serviço Municipal de Proteção Civil (SMPC) da Câmara de Faro, em articulação com a direção do Serviço de Urgência, providenciou prontamente a entrega de 25 camas e colchões em tela hospitalar”, contextualizou o município algarvio.

A Câmara de Faro sublinhou que tem outras “75 camas disponíveis para a eventual necessidade de instalar hospitais de campanha, nomeadamente o previsto para o Pavilhão Desportivo Municipal da Penha”.

“Recorde-se que, no âmbito do combate à pandemia na região, e em articulação com as autoridades de saúde, a autarquia adquiriu, em abril, um total de 100 camas hospitalares para apoio de retaguarda às comunidades e apoio das unidades de saúde”, acrescentou o município.

O anúncio da disponibilização pela Câmara de Faro de 25 camas ao CHUA surge depois de, no domingo, o centro hospitalar também ter anunciado a abertura, no Pavilhão Arena, em Portimão, de um hospital de campanha covid-19 com capacidade de até 100 camas.

“As camas disponíveis extra que estão no hospital [do Portimão Arena] são estas 100 camas. As camas que Faro disponibilizou são camas para nós abrirmos outros espaços para trocar doentes não covid de uns sítios para outros para conseguirmos receber os doentes todos que têm acorrido à urgência”, explicou à agência Lusa a presidente do Conselho de Administração do CHUA, Ana Castro.

A mesma fonte explicou que o plano de contingência do CHUA estava na fase 3 e, como “atingiu 80%” da sua capacidade, passou para “a fase 4” com a abertura das 100 camas no Portimão Arena, uma capacidade que “duplica praticamente o espaço de internamento para doentes covid-19” no Algarve, sublinhou.

“Neste momento temos maior resposta do que qualquer região do país, em termos de resposta adicional, e achamos que isso pode servir não só para nós, como também, se calhar, ainda para prestar ajuda a outras regiões”, realçou a presidente do conselho de administração do CHUA.

Ana Castro reconheceu que continua a haver carência de profissionais no CHUA, mas garantiu que o centro hospitalar tem “contratado todos o que pode e encontra no mercado” desde “há alguns meses, em termos de enfermeiros e operacionais”.

“Se é suficiente? Não, porque vamos abrir mais espaços, vamos duplicar a capacidade e não temos o dobro dos profissionais”, admitiu, lembrando que há também recursos humanos do CHUA infetados, em isolamento e quarentena e isso também tem implicações na disponibilidade de recursos.

Médica de formação, Ana Castro considerou que “não faz sentido haver poucos recursos médicos e não se usarem” e por isso também está a trabalhar na resposta aos doentes o Portimão Arena, que “tem já 4 doentes internados” e “terá até ao final do dia oito”, dois provenientes do hospital de Portimão e dois da unidade de Faro, quantificou.

Pub