Pub

Os alunos do Agrupamento de Escolas de Castro Marim vão continuar a ter acesso a refeições durante o confinamento decretado pelo Governo para conter a pandemia de covid-19, anunciou o município.

Depois de o Governo ter decidido encerrar os estabelecimentos de ensino no âmbito das medidas de contenção da pandemia impostas pelo estado de emergência, em vigor até 30 de janeiro, a Câmara do distrito de Faro anunciou que o Agrupamento de Escolas de Castro Marim vai colaborar com o município para “assegurar, da mesma forma, o fornecimento das refeições a todos os alunos”.

“Esta é uma medida extraordinária e de caráter urgente, de resposta à situação epidemiológica da covid-19, para proteger e amparar as famílias que se impactam com as consequências trazidas pela pandemia”, justificou a Câmara algarvia num comunicado.

A medida poderá contar com a adesão de “centenas de novos alunos, devendo as famílias que se encontrem em situação de carência económica equiparada ao escalão A e B contactar o Gabinete de Ação Social do Município através do número 281 510 742”.

A Câmara de Castro Marim advertiu que, para aceder a este serviço, “as refeições devem ser previamente requisitadas” para permitir que “os recursos sejam geridos da forma mais eficiente possível”.

“Os encarregados de educação dos alunos que frequentam o Centro Escolar de Altura (pré-escolar e 1.º ciclo) deverão fazer a marcação prévia das refeições através do número 281 510 747. As refeições serão servidas no refeitório do Centro Escolar de Altura, entre 12:00 e as 13:30”, é referido na nota.

O mesmo sistema será aplicado para os encarregados de educação dos alunos que frequentam a Escola Básica n.º 1 de Castro Marim, o pré-escolar de Castro Marim, a Escola Básica n.º 1 de Odeleite e a Escola Básica de Castro Marim (2º e 3º ciclos), “embora estes devam utilizar outros números de telefone (281 531 708 ou 963 902 357) para reservar as refeições, que serão depois servidas no refeitório da Escola Básica de Castro Marim, das 12:00 às 13:30.

O município vai assegurar também refeições aos “alunos que residem fora dos aglomerados de Castro Marim e Altura”, mas estas já vão ser disponibilizadas em regime ‘take-away’, responsabilizando-se a autarquia pelo transporte.

À semelhança do que acontece noutros municípios do Algarve e nos concelhos vizinhos de Vila Real de Santo António, Tavira ou Ayamonte (Espanha), o município de Castro Marim está a registar um crescimento do número de casos ativos de covid-19.

Este aumento já levou também o município a suspender o transporte social para as povoações mais dispersas do concelho, que conta com uma população total de cerca de 7.000 habitantes, e com um território marcado pela desertificação e o envelhecimento populacional.

Cartaz
Pub