Pub

As escolas de todos os graus de ensino vão suspender todas as atividades letivas presenciais a partir de segunda-feira devido ao surto Covid-19, anunciou hoje primeiro-ministro, António Costa, numa declaração ao país.

Esta medida, temporária, até ao fim do período letivo, antes das férias da Páscoa, será reavaliada em 09 de abril.

Apesar de um parecer do Conselho Nacional de Saúde Pública, na quarta-feira, não ter aconselhado o encerramento generalizado, “hoje mesmo o Centro Europeu para Prevenção e Combate às Doenças emitiu um parece onde inequivocamente recomenda a todos os estados-membros [da União Europeia] o encerramento imediato de todos os estabelecimentos de ensino e em todos os graus de ensino”, argumentou António Costa.

Dado não existir “uma consolidação” de um “entendimento técnico nesta matéria”, o chefe do Governo afirmou que “manda o princípio da prudência” que se determine “desde já, a suspensão de todas atividades letivas presenciais” até ao início das férias da Páscoa.

António Costa considerou que a pandemia está longe de ter atingido um pico, e, em 09 de abril, o Governo determinará o que fazer “em relação ao terceiro período” para “preparar medidas alternativas ao ensino presencial”, que “permitam assegurar a conclusão deste ano letivo ou que a solução pandémica possa ter uma evolução (…) mais favorável”.

Encerramento de discotecas e limitações em centros comerciais

O primeiro-ministro anunciou ainda o encerramento de discotecas, a redução da lotação máxima dos restaurantes, a limitação do número de pessoas em centros comerciais e serviços públicos e a proibição de desembarque dos passageiros de cruzeiros.

“Nós vamos determinar o encerramento das discotecas e estabelecimentos similares, reduzir em um terço a lotação máxima de cada estabelecimento de restauração de forma a aumentar o espaçamento entre os diferentes clientes, vamos determinar a limitação da frequência de centros comerciais ou de serviço públicos de forma a que a sua frequência se adeque ao espaço de cada um sem que haja um excesso de pessoas simultaneamente dentro do mesmo espaço”, elencou.

De acordo com o primeiro-ministro, o Governo vai também “determinar a proibição de desembarque dos passageiros de navios de cruzeiro, que poderão continuar a aportar para efeitos de reabastecimento, com a exceção dos residentes em Portugal”.

“Tal como já foi determinado em relação à região norte, será estendida a todo o país a limitação de visitas a lares de idosos”, anunciou ainda.

Pub