Pub

O hospital de campanha de Portimão, instalado no Portimão Arena para reforçar o número de camas devido à pandemia de covid-19, vai permanecer em prontidão, pelo menos durante o próximo verão, anunciou o município.

A unidade conta com 100 camas, 22 das quais articuladas, possuindo no seu conjunto três enfermarias com quartos individuais (30 camas) e oito com quartos duplos (64 camas), além de uma unidade de doentes críticos, com seis camas, adianta a Câmara de Portimão, em comunicado.

“Em Portimão, temos de garantir as melhores respostas aos piores cenários”, referiu Isilda Gomes, durante uma visita ao local do coordenador do estado de calamidade na região e secretário de Estado das Pescas, José Apolinário, realizada no domingo.

Segundo a autarca, trata-se de “uma capacidade que não existia em Portimão”, tendi sido necessário, “num curto espaço de tempo, assegurar a sua montagem e operacionalização” no âmbito da estratégia regional de combate à pandemia de covid-19.

De acordo com a nota do município, o hospital instalado na nave do Portimão Arena possui, também, áreas de decisão clínica, apoio médico e reuniões setoriais, bem como espaços de apoio psicossocial e de aprovisionamento.

A unidade está apetrechada com equipamento médico de monitorização, diagnóstico e tratamento de doentes críticos, oxigenoterapia, contando ainda com um espaço dedicado à morgue, prossegue a nota.

Os circuitos estão “perfeitamente definidos e identificados, com pontos de entrada específicos para doentes, profissionais e familiares”, existindo sinalética que separa “claramente áreas de sujos das não contaminadas”, havendo ainda um tratamento adequado de resíduos hospitalares.

A estrutura começou a ser montada pelo município no mês de abril, com o apoio científico, técnico e operacional do Algarve Biomedical Centre (ABC), da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Portimão, da Cruz Vermelha Portuguesa e do Hospital Particular do Algarve.

Todos os equipamentos ali instalados foram adquiridos pela autarquia para o efeito, acrescenta o município.

Quando se decidir desmontar o hospital de campanha, “toda a estrutura será arrumada em contentores, que permanecerão em Portimão e, em situações de acidente grave ou catástrofe, poderá ser montado num só dia, ficando prevista a sua mobilidade em transporte terrestre, ferroviário ou aéreo”, conclui.

Pub