Pub
Foto © Santuário de Fátima

A Igreja Católica promoveu ontem uma oração de consagração de Portugal e Espanha ao Sagrado Coração de Jesus e ao Imaculado Coração de Maria, a que se uniram mais de 20 países, pedindo o fim da pandemia da Covid-19.

A cerimónia decorreu na Basílica de Nossa Senhora do Rosário de Fátima, junto à imagem da Virgem Maria habitualmente venerada na Capelinha das Aparições, sob a presidência de D. António Marto, vice-presidente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), com uma prece que se repetiu, em espanhol e português: “Livra-nos da pandemia que nos atinge”.

“Ampara as crianças, os anciãos e os mais vulneráveis, conforta os médicos, os enfermeiros, os profissionais de saúde e os voluntários cuidadores, fortalece as famílias e reforça-nos na cidadania e na solidariedade”, rezou o bispo de Leiria-Fátima, durante a oração de consagração.

No início da celebração, que começou com a recitação do Rosário, o reitor do Santuário de Fátima, padre Carlos Cabecinhas anunciou que se iria rezar pelas vítimas “diretas e indiretas da pandemia”; pelos profissionais de saúde, “incansáveis nos seus esforços por socorrer os doentes”; pelas autoridades, “no seu esforço para encontrar soluções”; e pelas famílias.

O responsável católico recordou que na Basílica estão sepultados os santos Francisco e Jacinta Marto, “também eles vítimas de uma pandemia”, a gripe pneumónica, que provocou a sua morte em 1919 e 1920, respetivamente, evocando a sua intercessão para “tantos doentes que, nestes dias e de forma dramática, experimentam a solidão do isolamento a que estão sujeitos”.

A Oração do Rosário e Consagração de Portugal foi anunciada na última sexta-feira pelos bispos católicos do país, tendo-se seguido a adesão de Espanha e vários outros países; a cerimónia foi transmitida pela televisão, rádio e plataformas digitais.

Após este anúncio, uniram-se à cerimónia os episcopados da Albânia, Bolívia, Colômbia, Costa Rica, Cuba, Eslováquia, Guatemala, Hungria, Índia, México, Moldávia, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru, Polónia, Quénia, República Dominicana, Roménia, Tanzânia, Timor Leste e Zimbábue – e “muitos outros grupos de fiéis de todo o mundo”.

O novo coronavírus já infetou perto de 428 mil pessoas em todo o mundo, provocando mais de 19 mil mortes.

A Itália é o país do mundo com mais mortes – 6820 pessoas; o número de mortos em Espanha devido à pandemia de Covid-19 chegou hoje às 3434 vítimas.

Em Portugal, há 43 mortes e 2995 infeções confirmadas, segundo balanço da DGS.

Ecclesia

Pub