Pub

A Câmara de Lagos renovou até ao final do ano os apoios às famílias e empresas afetadas pela pandemia da covid-19 no concelho, estimando em 10 milhões de euros o impacto nas contas da autarquia, foi ontem anunciado.

As medidas de apoio às famílias e à economia local implementadas entre abril e dezembro de 2020 foram agora renovadas até ao fim de 2021, depois do despacho ter sido ratificado na reunião de quarta-feira do executivo camarário, indicou a Câmara em comunicado.

O “Lagos Apoia – Programa de Apoio às Famílias e à Economia Local”, com retroativos a 01 de janeiro, prorroga a isenção e redução de taxas e tarifas, os apoios na área da habitação, ação social, desporto, cultura, educação, solidariedade social, empresas, impostos e reforço das atividades de promoção, lê-se na nota.

De acordo com o presidente daquele município do distrito de Faro, Hugo Pereira (PS), citado no documento, “o impacto das medidas nas contas da autarquia e o seu efeito económico, considerando os dois anos de aplicação, estima-se que atinja os 10 milhões de euros”.

A autarquia justifica a renovação do programa com o facto de as medidas de combate à pandemia “levarem à suspensão de diversas atividades do comércio a retalho e prestação de serviços, afetando o tecido empresarial local, já de si fortemente condicionado pela sazonalidade a que a região está votada”.

“Para a decisão contribuiu também a perspetiva de instabilidade que continuará a marcar o ano de 2021, por ainda estar longe de acontecer a retoma da normalidade do setor económico, sobretudo nas atividades mais ligadas à restauração e hotelaria”, sublinha a nota.

Para a autarquia, estas medidas de âmbito local visam complementar os programas criados pelo Governo, “na resposta às necessidades das empresas e das famílias, associações culturais, desportivas e instituições particulares de solidariedade social que tem visto comprometida a sua atividade regular”.

“Contemplado no programa fica também o apoio às atividades das empresas marítimo-turísticas e praias, que beneficiarão de isenção do pagamento de taxas, da comparticipação do vencimento dos nadadores-salvadores e demais despesas associadas à vigilância e assistência aos banhistas”, lê-se no documento.

Entre as medidas agora aprovadas, destaca-se a criação de um serviço de atendimento telefónico vocacionado para apoiar uma faixa etária da população mais vulnerável que funciona no Gabinete de Apoio à Pessoa Idosa.

A autarquia admite que possam ser implementados outros apoios no âmbito do estudo estratégico de avaliação do impacto da covid-19 na economia local que está a ser elaborado.

Pub