Pub

O município de Loulé abre hoje na freguesia de Quarteira um refeitório social para os cidadãos carenciados e lançou uma linha solidária de apoio psicológico a cidadãos dependentes, no âmbito das medidas de combate ao surto de covid-19.

“O apoio social às famílias é essencial neste momento de crise sanitária e a linha de apoio Loulé Solidário e o refeitório são, sem dúvida, excelentes exemplos desses mecanismos que contribuem para atenuar as consequências imediatas destes tempos difíceis” afirmou à Lusa o presidente da Câmara de Loulé.

Segundo Vítor Aleixo, o refeitório, que começa a funcionar hoje na Escola Básica 2,3 São Pedro do Mar, em Quarteira, terá uma triagem à porta com “algumas perguntas feitas por um agente da Cruz Vermelha e um técnico da câmara”.

Além disso, será também feita a “medição da temperatura corporal” e “só depois [as pessoas] poderão ter acesso à refeição”, destacou o presidente daquele município do distrito de Faro.

Defendendo que a câmara e as juntas de freguesia, “têm um conhecimento capilar das situações sociais”, o autarca adiantou que a estrutura tem capacidade para servir gratuitamente 50 refeições diárias, mas em caso de necessidade “pode chegar às 100”.

No âmbito da pandemia de covid-19, o refeitório poderá “continuar a funcionar até ser necessário”, revelou, adiantando que será possível obter, também, obter ‘kits’ de alimentação para o jantar.

A linha de apoio Loulé Solidário foi disponibilizada na terça-feira, de forma gratuita e funciona todos os dias entre as 09:00 e as 20:00 através do número 800 289 600.

Psicólogos, assistentes sociais e técnicos de ação social prestam informação básica e orientam quem quer que contacte o serviço, bem como acompanhamento social, com “as respostas mais adequadas a problemáticas específicas”.

“Este serviço pretende identificar situações de pessoas que estejam angustiadas ou amedrontadas, como apoio psicológico”, referiu Vítor Aleixo.

Pessoas que tenham mobilidade limitadas mas que “precisem de compras ou não tenham apoio familiar”, podem, também, ser ajudadas pela Câmara, que “vai procurar ajudar e eventualmente até levar alguma refeição a casa”, acrescentou, sublinhando que “haverá sempre uma triagem”.

O serviço funciona também através do endereço de correio eletrónico loulesolidario@cm-loule.pt e destina-se a pessoas idosas, dependentes ou impossibilitadas de sair de casa e sem suporte familiar.

Paralelamente, a Junta de Freguesia de Quarteira implementou um programa que procura apoiar a população sem suporte familiar, nomeadamente, idosos, doentes crónicos e pessoas com mobilidade reduzida em tarefas como “a ida ao supermercado, à farmácia, aos correios ou ao centro de saúde para levantamento de receitas”.

O programa Quarteira Presente pretende também garantir “o transporte de refeições e agilizar o processo de atestados e provas de vida”, emitidos pela Junta de Freguesia.

Em caso de necessidade, os munícipes daquela freguesia, uma das mais populosas do concelho, deverão entrar em contacto pelo telefone 919 993 104 ou através do endereço gap@jf-quarteira.pt.

Em Portugal, há 43 mortes, mais 10 do que na véspera (+30,3%), e 2.995 infeções confirmadas, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, que regista 633 novos casos em relação a terça-feira (+26,8%).

Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 02 de março, encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março e até às 23:59 de 02 de abril.

Pub