Pub

A maioria dos 26 utentes do lar de idosos da Santa Casa da Misericórdia de Boliqueime, em Loulé, que testaram positivo para a covid-19 continuam sem sintomas da doença, disse na quinta-feira à Lusa o presidente da Câmara de Loulé.

“Neste momento existe apenas um caso que nos inspira mais cuidados [de um utente] que foi transportado para o hospital, enquanto os restantes continuam assintomáticos”, referiu Vítor Aleixo, presidente daquele município.

De acordo com um comunicado da Santa Casa da Misericórdia de Boliqueime, publicado na quarta-feira na sua página numa rede social, dos 59 utentes testados, 33 apresentaram resultados negativos, registando-se 26 positivos.

Em relação aos funcionários, 56 apresentaram resultados negativos, verificando-se 11 casos positivos, mas que continuam a não manifestar sinais da doença, ainda segundo a mesma nota.

Segundo Vítor Aleixo, os utentes e alguns funcionários da instituição que apresentaram resultados negativos ou inconclusivos ao primeiro teste para despiste da doença – e que foram transferidos para um hotel em Vilamoura -, repetiram os testes na quarta-feira e aguardam pelo resultado.

A estrutura residencial para pessoas idosas da Santa Casa da Misericórdia de Boliqueime mantém-se, até hoje, como a única instituição para idosos no distrito de Faro a registar casos positivos de covid-19.

No dia 03 de abril foi anunciado que dos 59 utentes daquela estrutura para idosos, 21 tinham apresentado resultados positivos para a doença designada como covid-19, causada pelo novo coronavírus SARS-CoV-2.

Entretanto, a Administração Regional de Saúde (ARS)do Algarve anunciou hoje em comunicado que um médico, um enfermeiro e um psicólogo começaram a prestar apoio diário aos utentes e funcionários da instituição.

Segundo a ARS/Algarve, foi já ministrada formação aos funcionários do lar de idosos, “para reforçar as medidas de prevenção e controlo da infeção, bem como, sensibilizar para a importância da correta utilização de equipamentos de proteção individual”.

A Assembleia da República aprovou hoje o decreto do Presidente da República que renova o estado de emergência até ao final do dia 02 de maio, para permitir medidas de contenção da covid-19.

A nível global, a pandemia de covid-19 já provocou quase 133 mil mortes e infetou mais de dois milhões de pessoas em 193 países e territórios.

Em Portugal, morreram 629 pessoas num total de 18.841 confirmadas como infetadas, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde.

Pub