Pub

A Câmara de Monchique lançou um programa que visa preparar a comunidade e as empresas para a gradual abertura do espaço público, disponibilizando equipamentos de proteção e máquinas de desinfeção do ar e superfícies, informou hoje o município.

Em comunicado, a autarquia adianta que o programa ‘Proteger Monchique’ inclui, além do reforço na desinfeção dos espaços públicos, a distribuição de máscaras reutilizáveis à população e de ‘kits’ com viseiras, máscaras e luvas por todo o comércio local.

Para apoiar as empresas na higienização e reabertura dos seus espaços, a autarquia vai disponibilizar equipamentos de tratamento ambiental permanente para o ar e superfícies, que serão também usados na “retoma gradual laboral nos vários locais de trabalho e viaturas municipais”, incluindo escolas e creches.

“Estes equipamentos à base de ozono realizam uma ação corretiva e preventiva de todo o género de contaminação ambiental do ar, incluindo o coronavírus, reforçando e otimizando, desta forma, a aplicação das normas da covid-19 no que respeita à higiene do ar e das superfícies”, lê-se na nota.

Segundo a câmara algarvia, esta semana começam também a ser distribuídas máscaras comunitárias reutilizáveis por toda a população, que chegarão aos domicílios pelo correio e foram adquiridas pela autarquia “a uma empresa certificado para o efeito”.

Os tecidos utilizados “têm a garantia de qualidade”, podendo as máscaras serem “reutilizadas pelo menos 50 vezes, se devidamente lavadas após cada utilização”.

A autarquia tomou a iniciativa de distribuir máscaras devido à “ausência de um programa generalizado de oferta de máscaras por parte do Governo, assim como da dificuldade de acesso a este bem”, justifica.

Às empresas, a câmara vai ainda disponibilizar “todo o apoio técnico necessário, através da constituição de uma equipa multidisciplinar” para “adaptar espaços e adequar um conjunto de metodologias às novas exigências sanitárias”.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 251 mil mortos e infetou quase 3,6 milhões de pessoas em 195 países e territórios.

Mais de um 1.1 milhões de doentes foram considerados curados.

Em Portugal, morreram 1.074 pessoas das 25.702 confirmadas como infetadas, e há 1.743 casos recuperados, de acordo com a Direção-Geral da Saúde.

Pub