Pub

A organização da concentração de motos de Faro decidiu anular a 39.ª edição, que deveria realizar-se em julho, devido às restrições impostas para conter a pandemia de Covid-19, anunciou o presidente do Moto Clube de Faro, José Amaro.

Em declarações à agência Lusa, o presidente do motoclube algarvio, que organiza a concentração há 38 anos consecutivos, lamentou não haver condições para receber os milhares de motociclistas que se deslocam de vários pontos da Europa e do mundo, reconheceu que “é difícil anular o evento dos 39 anos”, mas considerou que a saúde está primeiro e, por isso, se optou por não realizar a concentração em 2020.

José Amaro explicou que a decisão foi tomada devido à impossibilidade de realizar festivais em Portugal, à necessidade de haver distanciamento social e às restrições impostas ao transporte e à circulação de pessoas entre países.

Questionado sobre impacto da anulação da concentração deste ano, José Amaro respondeu: “É sempre mau para o clube e para a cidade de Faro, porque é um evento importante”.

“É triste, mas é preciso agora cumprir estas regras para que no próximo ano isto possa correr dentro da normalidade”, acrescentou, lembrando que o evento realiza-se há 38 anos “sem interrupção”.

A mesma fonte adiantou que o Moto Clube de Faro está a pensar realizar uma outra iniciativa para que os 39 anos da concentração possam ser assinalados em 2020, mas garantiu que o formato ainda não está decidido.

“Durante os próximos meses vamos tentar realizar qualquer coisa, não será uma concentração nos moldes habituais, mas vamos tentar fazer alguma coisa para que os 39 anos não fiquem esquecidos”, antecipou.

A concentração de motos de Faro, uma das maiores da Europa, reúne milhares de pessoas no Vale das Almas, uma zona de pinhal localizada entre o aeroporto e a praia de Faro, que é também o ponto central de um vídeo que o Moto Clube de Faro colocou na sua página do Facebook para anunciar a decisão aos seus seguidores.

“Foram poucos os que viram o Vale das Almas com este aspeto, este é o nosso chão sagrado, durante 38 anos comemorámos e partilhámos as nossas alegrias, é aqui que vamos buscar força e ultrapassamos as nossas tristezas, mas este ano não será assim. Sabemos que a saúde é o nosso bem mais precioso, é difícil anular o evento dos 39 anos, mas temos a certeza que em qualquer parte do mundo, os dias que eram da concentração, vamos estar juntos em pensamento e vamos regressar mais fortes na defesa da cultura motociclista”, diz José Amaro no vídeo.

Pub