Pub

A quarentena dos trabalhadores rurais que desde 16 de março se encontram isolados numa escola em Faro por suspeitas de contaminação por covid-19 deverá terminar no final da semana, disse hoje à Lusa o presidente da autarquia.

Em declarações à Lusa, Rogério Bacalhau adiantou que a quarentena “terminará no final desta semana” e os trabalhadores “que não apresentarem sintomas regressarão a casa”, se “até lá não houver nenhuma evolução negativa, ficando apenas na escola os que manifestaram sintomas”.

Segundo o autarca, atualmente, são mais de 50 os trabalhadores rurais que ainda se encontram em quarentena na Escola Básica 2,3, mas “a situação está estável”, existindo “cinco pessoas com sintomas” que estão devidamente “separadas dos outros”.

Em 16 de março, mais de 70 trabalhadores rurais foram colocados de quarentena em Faro, depois de ter sido confirmado um caso de covid-19 envolvendo um cidadão de nacionalidade nepalesa – que trabalhava e residia na zona rural do concelho.

Os trabalhadores, de várias nacionalidades, foram encaminhados para uma escola devido às condições precárias de habitabilidade dos seus locais de residência e que não possibilitavam um isolamento profilático.

No dia 17 de março, três destes trabalhadores testaram positivo para a covid-19, número que subiu entretanto para nove, segundo um balanço feito hoje à Lusa por Rogério Bacalhau.

Segundo a delegada regional de saúde do Algarve, a colocação destes trabalhadores em quarentena foi “essencial para que não tivesse havido uma explosão de casos” em Faro.

Ana Cristina Guerreiro defendeu que a colocação de pessoas todas no mesmo local, “possibilitou [fazer] uma monitorização constante às alterações no seu estado de saúde, permitindo optar entre fazer o teste no local ou no hospital”.

Segundo Rogério Bacalhau, na quarta-feira, houve a suspeita de que poderia existir um novo foco de contágio envolvendo trabalhadores de uma exploração agrícola em Faro, que poderia obrigar a colocar um novo grupo em quarentena, mas não se confirmou. 

“Foi montada uma operação de preparação na escola Poeta Emiliano da Costa, em Estoi, para que tivesse as condições para colocar esses pessoas em quarentena, mas depois do rastreio, percebeu-se que não era necessário”, afirmou.

A operação foi “desmobilizada”, mas a escola “mantém-se preparada” caso seja necessário responder a “mais alguma situação semelhante”, informou.

Segundo os dados revelados pela Direção-Geral de Saúde, o concelho de Faro contava hoje com mais oito casos do que na véspera, totalizando 25 pessoas infetadas com covid-19. 

No Algarve há mais 27 casos, em relação a quarta-feira,​​​​​​​ totalizando 89 casos na região confirmados e uma morte.

Em Portugal, registaram-se 60 mortes, mais 17 do que na véspera (+39,5%), e 3.544 infeções confirmadas, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, que identificou 549 novos casos em relação a quarta-feira​​​​​​​ (+18,3%).

Dos infetados, 191 estão internados, 61 dos quais em unidades de cuidados intensivos, e há 43 doentes que já recuperaram.

Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 02 de março, encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março e até às 23:59 de 02 de abril.

Pub