Pub

Um total de 946 utentes e profissionais de 14 equipamentos residenciais para idosos e pessoas com deficiência do concelho de Faro obtiveram resultados negativos nos testes para o despiste da covid-19, informou ontem o município.

Em comunicado, a Câmara de Faro adianta que os testes, realizados pelo Algarve Biomedical Centre (ABC), entre 4 de abril e 2 de maio, não revelaram “qualquer caso positivo” da doença provocada pelo novo coronavírus.

“As equipas médicas do ABC responsáveis por este processo de recolha e análise rastrearam 529 utentes e 417 funcionários (…) tendo os resultados sido todos negativos”, lê-se na nota do município.

Após esta fase, “serão realizados também testes a outras instituições de âmbito social do concelho”, refere a autarquia que, apesar de congratular-se com os obtidos, lembra que é “necessário que todos se mantenham alerta”.

A operação de rastreio foi realizada no âmbito do programa de testagem dos lares de idosos do Algarve Covid+70, coordenada pelo Comando Regional de Emergência e Proteção Civil, em articulação com o serviço municipal de proteção civil de Faro, com o apoio dos bombeiros sapadores e voluntários do concelho.

A autarquia acrescenta ainda ter distribuído cerca de 3.600 máscaras e viseiras de proteção pelos lares e equipamentos de sociais de Faro, de forma “a minimizar o impacto que esta doença pode ter junto da comunidade sénior que se encontra nestes equipamentos de apoio”, bem como dos seus funcionários.

Até agora, no Algarve, o foco mais grave de covid-19 envolvendo lares de idosos ocorreu no lar da Santa Casa da Misericórdia de Boliqueime, em Loulé, que no início de abril registou 21 casos positivos entre os utentes, número que depois aumentou.

Os utentes que testaram negativo foram encaminhados para um hotel em Vilamoura, onde permaneceram quase um mês, tendo regressado à instituição na passada quinta-feira.

Pub