Pub

Um surto de covid-19 na corporação dos Bombeiros Voluntários de Vila Real de Santo António infetou 12 bombeiros, havendo ainda outros 38 em isolamento profilático, informou ontem fonte da corporação.

“Do efetivo de 72 bombeiros estão, neste momento, infetados com o coronavírus SARS-CoV-2 12 bombeiros e por determinação da delegada de saúde, outros 38 em isolamento profilático, lê-se num comunicado da Associação Humanitária que gere a corporação.

Aquela corporação, que serve também o concelho vizinho de Castro Marim, já na fronteira com Espanha, assegura, contudo, “que continua garantida a resposta a eventuais situações de emergência, proteção e socorro nos concelhos de Vila Real de Santo António e Castro Marim”.

Para tal, o Comando Regional de Emergência e Proteção Civil do Algarve reforçou o dispositivo daqueles dois concelhos do leste algarvio “com recurso ao dispositivo constituído como reserva estratégica dos Bombeiros do Algarve”, prossegue a nota.

Ao início da tarde ontem foi realizada a descontaminação das áreas do quartel por um grupo de intervenção em risco biológico covid-19, dos bombeiros da região, mobilizado pelo comando regional do Algarve, acrescenta.

O primeiro caso foi registado em 31 de janeiro, quando foi ativada a segunda fase do plano de contingência interno, para “travar precocemente a cadeia de contágio e manter a capacidade de resposta a situações de emergência, proteção e socorro”.

Os concelhos de Castro Marim e Vila Real de Santo António, na foz do rio Guadiana, eram, até ao final de janeiro, os municípios do Algarve com maior incidência de casos de covid-19 cumulativa a 14 dias.

Castro Marim, com cerca de 7.000 habitantes, atingiu um valor acumulado de 2.822 casos confirmados, enquanto Vila Real de Santo António, com perto de 20.000, chegou aos 2.139, no final do mês passado, depois de um aumento dos casos após o Natal.

Pub