Pub

Durante o ano de 2011, a Cáritas Diocesana do Algarve prestou atendimento social a 1.425 famílias, o que representou um total de 4.042 pessoas abrangidas. Destas ajudas, 493 foram a famílias novas (relativamente ao ano anterior), o que significou um apoio a 1.288 pessoas novas (também relativamente ao ano de 2010).

De janeiro até outubro deste ano, aquela instituição da Igreja Católica já ajudou 1.033 famílias, num total de 2.665 pessoas abrangidas. Destas ajudas, 404 foram a famílias novas (relativamente a 2011), o que significa já um apoio a 1.087 pessoas novas (também relativamente ao ano passado).

Para além do atendimento social, a Cáritas algarvia forneceu também, através do seu Refeitório Social, 2.570 refeições em 2011 a 53 agregados familiares em média por dia de fornecimento e, até outubro passado, já tinha distribuído 2.510 refeições, num total de 37 famílias apoiadas e 69 pessoas abrangidas em média por dia de fornecimento.

O Refeitório Social da Cáritas, assegurado por voluntários desde fevereiro de 2011 para servir jantares dois dias por semana, tem uma parceria com três escolas da cidade de Faro, as quais canalizam para aquela valência da instituição os excedentes das suas cantinas.

Este serviço da Cáritas algarvia foi ainda complementado com a atribuição de vales de alimentação no valor de 12.860 euros em 2011 e de 5.000 euros até outubro deste ano.

Em 2011, a instituição foi ainda mediadora na entrega de alimentos provenientes Programa Comunitário de Ajuda Alimentar a Carenciados (PCAAC) a 216 famílias, o que representou um conjunto de 544 pessoas abrangidas e um total de 26.756 euros de apoio. Até outubro deste ano, a Cáritas já distribuiu alimentos do PCAAC a 248 famílias, o que representa até agora um conjunto de 657 pessoas e um total de 15.394 euros de apoio.

Para além destas respostas sociais, a Cáritas do Algarve tem também a funcionar um Roupeiro Social que realizou 215 atendimentos em 2011 e 199 até ao mês de outubro deste ano. A instituição tem ainda um balneário e um cabeleireiro sociais, para além do Lar da Mãe, adstrito ao SOS Vida, que acolhe mulheres em risco na fase de gestação e que, em 2011, recebeu três mães com os respetivos bebés. No presente ano o Lar da Mãe, que funcionava na sede da Cáritas, tem estado encerrado devido a problemas estruturais do edifício que necessita muito de obras de recuperação.

A Cáritas do Algarve, que tem ainda um infantário com 127 crianças (75 em pré-escolar e 52 em creche), é constituída por 39 elementos, sendo sete da direção e 32 voluntários, e conta com 30 funcionários e uma estagiária. Para além daqueles voluntários, a instituição tem ainda uma bolsa de mais colaboradores para campanhas e trabalhos extraordinários.

A Cáritas algarvia analisou ainda nos últimos anos 151 processos no âmbito de pedidos de ajuda apresentados ao Fundo Social da Diocese do Algarve – que, desde fevereiro de 2009, visa apoiar as vítimas da crise, “dando prioridade às situações de carência mais grave”, concretamente junto da “população desempregada” –, tendo aquele apoio atribuído até ao momento um valor total de 81.111 euros.

Samuel Mendonça

Pub