Pub

A intenção de reabrir a loja de Portimão foi manifestada durante uma reunião realizada hoje à tarde com o executivo presidido pelo socialista Manuel da Luz.

"Além do interesse em continuar, a Decathlon pretende encontrar uma solução que lhe permita abrir a loja num curto espaço de tempo, a fim de manter os postos de trabalho", sublinhou a mesma fonte.

A alternativa, observou, pode passar pela instalação de uma estrutura provisória no interior do Retail Park, mas "será sempre uma decisão que passará pela negociação entre a Decathlon e a administração do empreendimento".

"O que foi manifestado foi que a abertura imediata é importante, para que seja retomada a atividade e para a manutenção dos postos de trabalho", destacou a mesma fonte.

Acrescentou que, das sete empresas cujas lojas ficaram destruídas pelo fogo na madrugada de domingo, apenas o AKI e a Moviflor "ainda não contactaram" a Câmara Municipal de Portimão, o mesmo sucedendo com a empresa proprietária do Retail Park.

"Destas empresas não recebemos qualquer contacto, mas acreditamos que ainda venham a fazê-lo", afirmou a fonte camarária.

A Câmara Municipal tem manifestado preocupação com o futuro dos mais de 300 trabalhadores cujos postos de trabalho ficaram ameaçados com a destruição das sete grandes superfícies e disponibilizou-se para ajudar as empresas a encontrarem soluções alternativas para a reabertura das lojas.

"Uma dessas soluções passa pela instalação das lojas no centro da cidade", sublinhou a fonte autárquica.

Das empresas afetadas pelo fogo, a Rádio Popular, a Staples e o Continente anunciaram já que pretendem desenvolver a atividade mantendo os trabalhadores, os quais foram distribuídos temporariamente por outras lojas da região.

Fonte da Rádio Popular disse hoje à Lusa que "os colaboradores já se encontram a desenvolver a sua atividade em outros estabelecimentos comerciais do grupo, nomeadamente em Albufeira e Faro".

Também a Staples garantiu hoje que os 25 trabalhadores da loja do Retail Park vão ser colocados noutras lojas do Algarve, revelando que "é objetivo da Staples reabrir a loja que ardeu, naquela ou noutra localização, o mais breve possível".

No domingo, em comunicado, o Continente já tinha anunciado a realocação de todos os trabalhadores da unidade que funcionava no Retail Park de Portimão, garantindo “a manutenção dos 120 postos de trabalho”.

Um incêndio destruiu no domingo de madrugada sete grandes superfícies do Retail Park de Portimão, que empregavam mais de 300 pessoas.

Do incêndio no complexo, só escaparam uma oficina de reparação automóvel, a zona de restauração e uma bomba de combustível.

Lusa

Pub