Breves
Inicio | Ambiente | Descobrir o interior desertificado de burro, cavalo, bicicleta ou a pé pela Via Algarviana

Descobrir o interior desertificado de burro, cavalo, bicicleta ou a pé pela Via Algarviana

As inscrições para participar na travessia pelo interior algarvio estão esgotadas na versão de bicicleta e a pé, mas ainda é possível participar na caminhada em cima do dorso de um cavalo ou de um burro, explicou à agência Lusa João Ministro da associação ambientalista organizadora do evento ecoturístico Almargem.

Vão ser 14 dias de caminhada em plena serra algarvia e o percurso vai iniciar-se no Cabo de S. Vicente junto a Sagres, no concelho de Vila do Bispo, e vai terminar em Alcoutim, explicou João Ministro, referindo que o passeio, que termina dia 02 de abril, está a ter muita procura, nomeadamente de estrangeiros e imigrantes.

"Houve uma grande procura, porque esta via está a tornar-se muito popular. Temos belgas, alemães, austríacos, espanhóis, holandeses, israelitas e portugueses, obviamente", enumerou o ambientalista.

A "Travessia da Via Algarviana" é "uma iniciativa promocional do interior algarvio e do seu potencial turístico" que serve principalmente para revelar as aldeias algarvias e as suas actividades culturais, mas também todo o património natural e museológico existente, esclareceu a Almargem, salientando o apoio que todas as autarquias algarvias estão a dar ao evento.

O grupo que vai fazer a caminhada integral e contínua da Via Algarviana vai demorar 14 dias, mas o percurso pode ser feito num menor espaço de tempo de bicicleta todo o terreno, que demora cinco dias, de cavalo ou de burro, nas últimas duas versões o passeio demora nove dias e 11 dias, respetivamente.

O alojamento é gratuito e assegurado pela organização, e segundo João Ministro, os participantes podem pernoitar em antigas escolas primárias ou Casas do Povo, uma oportunidade para conhecer património antigo português, observou, mas opcional.

A alimentação é por conta dos participantes e quem optar por participar na iniciativa a cavalo ou de burro de carga tem de pagar uma inscrição para assegurar o trabalho do guia turístico.

A travessia a cavalo é de 25 de março a 02 de abril e a de burro de 23 de março a 02 de abril, os preços de participação variam entre os 7,5 euros (caminhada) e os 16 euros (cavalo), mas as inscrições para a versão BTT e a pé estão esgotadas, havendo mesmo pessoas em lista de espera, alertou a Almargem.

A Via Algarviana é um projeto nascido em 1995, fruto da conjugação de esforço da Associação Almargem e Algarve Walkers, cujo objetivo foi implementar uma rota pedestre entre o Baixo Guadiana e Sagres para promover o ecoturismo, combate à sazonalidade e combater a desertificação do interior do Algarve.

Lusa

Verifique também

Faro vai acolher cientistas que vão preparar relatório mundial sobre alterações climáticas

Especialistas mundiais em alterações climáticas vão reunir-se no início de 2020, em Faro, para prepararem …