Pub

A efeméride foi assinalada pela celebração da Eucaristia presidida, ao fim da tarde, pelo bispo do Algarve na Sé de Faro, na qual administrou o sacramento do Crisma a 29 adultos das paróquias do Montenegro, Quarteira, Santa Maria de Tavira, São Luís e Sé de Faro.

D. Manuel Quintas lembrou a “comunhão” com todas as paróquias da diocese algarvia. “A celebração do Espírito Santo ajuda-nos a entender essa unidade e comunhão na diversidade e na riqueza de cada uma, sabendo que dessa diversidade surge a grande riqueza da Igreja diocesana do Algarve”, afirmou, lembrando que é preciso alargar o horizonte. “A nossa família, a Igreja, é um pouco mais vasta do que a nossa paróquia. É a diocese toda e o mundo todo”, concretizou.

Aproveitando o significado daquela solenidade, com a qual culminou o tempo pascal, o prelado exortou ao rejuvenescimento da comunidade cristã. “Hoje é o dia de todos, como Igreja, nos sentirmos incendiados pelo fogo do Espírito. Também hoje, devemos deixar-nos impelir pelo Espírito. É o dia de nos abrirmos à ação do Espírito e de nos sentirmos, com ele, uma Igreja viva, no centro da qual está Cristo ressuscitado”, apelou, considerando que o facto de se poder administrar o sacramento do Crisma naquela celebração, ajuda a que todos tomem “maior consciência da ação do Espírito na Igreja e em cada batizado”. “Que a invocação do Espírito sobre estes nossos irmãos possa ajudar-nos a crescer na consciência de pertencermos à Igreja e a disponibilizarmo-nos a sermos também testemunhas ardorosas, corajosas e audazes”, disse aos restantes cristãos presentes.

Aos confirmados na fé, com o gesto da imposição das mãos e com a unção com o óleo crismal, o bispo do Algarve encorajou-os com uma palavra especial. “Como Igreja diocesana queremos usufruir dos vossos dons, os dons do Espírito. Quero contar convosco e preciso de vós, eu, como bispo, e os vossos párocos também! Os dons que recebeste tendes de os pôr a render ao serviço das vossas comunidades e da nossa Igreja diocesana, começando nas vossas famílias, trabalho e nos vossos ambientes”, exortou D. Manuel Quintas, explicando que a “primeira maneira de colaborar” é “participar com fidelidade” na vida das comunidades paroquiais de cada um, na Eucaristia dominical e nos serviços para os quais forem solicitados.

Na celebração de ontem foi ainda lembrado um motivo suplementar de festa por se assinalar também o 34º aniversário de ordenação sacerdotal do bispo do Algarve.

Samuel Mendonça
Pub