Pub

Com a distinção de pescadores, que terá lugar nos paços do concelho, e com o lançamento da primeira pedra da nova unidade fabril, propriedade da Companhia das Pescarias do Algarve, Luís Medeiros Vieira pretende mostrar o apoio estratégico do governo ao sector das pescas e da aquicultura.

“Valorizar as profissões ligadas ao mar, revitalizar as indústrias, apostar na aquicultura portuguesa demonstrando o apoio do Governo ao sector das pescas é a melhor maneira de se homenagear todos aqueles que têm a sua actividade económica ligada ao mar”, afirmou o secretário de Estado em declarações à Agência Lusa.

Além do lançamento da primeira pedra da fábrica, que ficará instalada no porto de Olhão, Luís Medeiros Vieira vai também assinar três contratos relativos à instalação de aquicultura de bivalves na Ilha de Armona, disse fonte do Ministério da Agricultura, Desenvolvimento Rural e Pescas.

A área piloto de produção aquícola da Armona foi apresentada há cerca de um mês pelo ministro António Serrano, juntamente com o Observatório de Aquicultura, que fica também instalado em Olhão.

"Descentralizámos para o Algarve certas infraestruturas pois é uma zona com um peso e potencial significativo", explicou o governante, frisando que, "no âmbito das medidas para a aquicultura o Governo apoia com 21 milhões de euros investimentos superiores a 68 milhões de euros".

Luís Vieira anunciou ainda que o governo vai também "alargar o apoio aos custos energéticos" no sector da aquicultura, suportando "20 por cento sobre o custo de fatura", e as candidaturas estão a decorrer.

"A indústria conserveira estava adormecida e o incentivo à diversificação e à melhoria dos produtos, através de técnicas inovadoras, produções mais diversificadas e orientadas para a exportação era imperativo para retirar da letargia estas indústrias", disse Luís Medeiros Vieira, referindo-se a uma área que o Ministério também considera estratégica.

O governante acrescentou ter "gosto em assistir ao revitalizar de uma indústria com história em Portugal e no mundo", sublinhando que o Governo aprovou recentemente cinco projetos de novas fábricas, duas para o Algarve, uma para Aveiro, uma na Póvoa de Varzim e uma em Matosinhos e a modernização de outras duas.

Sublinhou ainda que o sector conserveiro já representa 115 milhões de euros de exportações e, através dos apoios do Programa Operacional de Pescas (PROMAR) 2007-2013, foram aprovados 1229 projetos, que representam um investimento na ordem dos 180 milhões de euros, 114 dos quais comparticipados por fundos públicos.

Lusa

Pub