Pub

Foto © Samuel Mendonça
Foto © Samuel Mendonça

A Diocese do Algarve apela às paróquias que “conheçam, utilizem e divulguem os meios de comunicação diocesanos”.

O apelo está a ser feito por carta dirigida aos párocos, através do Gabinete de Informação da Diocese do Algarve (GIDAlg), por ocasião do 49º Dia Mundial das Comunicações Sociais que se assinala no próximo dia 17 deste mês.

“Esse conhecimento e difusão garantirão que a Igreja Algarvia continuará a ter uma voz no panorama comunicacional, tendo a possibilidade de contribuir, tal como pede o Santo Padre, para «narrar» e não apenas informar”, refere a missiva, aludindo à mensagem do Papa para aquele dia.

A carta, que resume o conteúdo da mensagem de Francisco, refere, a propósito, que desde 2009, o trabalho do GIDAlg “tem contribuído para aumentar a presença da Igreja algarvia nos diversos media, promovendo uma relação de proximidade e de facilidade comunicacional em todas as iniciativas diocesanas, com os diversos meios de comunicação social”.

A Diocese do Algarve pede “que exista uma presença constante dos cristãos nas várias plataformas que a Igreja coloca ao dispor de todos, presença essa que pode ser o simples acompanhar da informação, mas que poderá ser ainda mais efetiva, traduzindo-se na colaboração direta através do envio de informação, por exemplo, que possa ser útil e interessante para todos”.

“É fundamental que em cada comunidade paroquial se estimule os seus membros a participarem na vida da mesma através dos meios de comunicação, beneficiando da disponibilidade, generosidade e dos talentos que tantos têm”, acrescenta-se ainda, apresentando-se a criação de “plataformas – físicas ou digitais – nas paróquias para comunicar” como “um desafio, que todos os sacerdotes deverão ter em consideração, mesmo os que não se sentem tão à vontade no uso das novas tecnologias”. “Envolver os leigos nessas tarefas criará, certamente, o espírito de uma comunidade que sabe frutificar, tal como diz o Papa”, complementa a carta.

A diocese algarvia considera ainda que “importa falar, refletir, analisar o que se passa no mundo da comunicação”, abolindo desse debate o preconceito de que os media são espaços onde só tem lugar o que de mau acontece. Ao invés disso, a Igreja algarvia pede que se possa encarar os órgãos de comunicação social como “espaços onde é possível e exigível o testemunho, espaços onde o cristão deve mostrar que o é, contribuindo para que a Boa Nova continue a espalhar-se, não apenas nos continentes físicos, como desde há século acontece com o trabalho dos missionários, mas igualmente no continente digital”, onde todos têm a “possibilidade de missionar”.

O Dia Mundial das Comunicações Sociais, única celebração do género estabelecida pelo Concílio Vaticano II (decreto ‘Inter Mirifica’, 1963), é celebrado no domingo que antecede o Pentecostes, este ano a 17 de maio.

Pub