Pub

A Diocese do Algarve está a realizar um inquérito que visa, por lado, avaliar o seu programa pastoral de cinco anos que terminará neste ano de 2016/2017 e, por outro, ajudar a elaborar o próximo plano programático.

“A Comissão Permanente do Conselho de Pastoral da Diocese do Algarve sentiu a necessidade de avaliar aquilo que foi o último quinquénio e, por outro lado, tentar perceber qual a sensibilidade relativamente àquilo que poderá ser o próximo plano pastoral”, explicou ao Folha do Domingo, Carlos Ferrinho, membro da Comissão Permanente do Conselho de Pastoral da Diocese do Algarve.

Aquele responsável acrescentou que o inquérito, intitulado “Avaliar Rumo ao Futuro”, pretende chegar ao maior número possível de pessoas, incluindo não só os católicos algarvios, mas também “aqueles que não têm um compromisso tão efetivo com a comunidade” e que possam estar nas “periferias”.

Segundo Carlos Ferrinho, esta opção “pode ser uma mais-valia no sentido de que a conceção do próximo programa pastoral fica mais impregnada daquilo que são as perceções das pessoas”.

Por isso, o questionário, que preserva o anonimato dos inquiridos, foi elaborado e disponibilizado por via eletrónica e poderá ser respondido até ao dia 19 do próximo mês de março.

Relativamente ao próximo programa pastoral, o inquérito pergunta, entre outras coisas, a “relevância a dar ao enquadramento do conteúdo da Exortação Apostólica, sobre o amor na família, ‘A Alegria do Amor’”, quais as “prioridades” a ter na sua conceção e o período de tempo que deverá abranger.

A Comissão Permanente do Conselho de Pastoral da Diocese do Algarve pretende ter feita a recolha dos dados até à próxima assembleia plenária daquele órgão consultivo que está agendada para o dia 20 de maio deste ano.

Pub