Pub

Os dois seminaristas instituídos no acolitado irão agora centrar-se, de maneira particular, na Eucaristia que passam a distribuir a todos, particularmente àqueles que não podem abeirar-se dela, como os doentes.

As instituições foram simbolicamente assinaladas com as entregas da patena (recipiente sagrado no qual se depositam as hóstias consagradas) e do cálice (recipiente sagrado no qual se deposita o vinho consagrado), por parte do Bispo respetivamente ao Miguel Pereira e ao Vasco Figueirinha, com a missão de servir dignamente a mesa de Deus e da Igreja.

O ato da instituição neste ministério é um passo para a futura ordenação diaconal e posteriormente para a ordenação sacerdotal, uma vez que constitui um pressuposto para elas. Os instituídos orientam as suas vidas, o caminho de formação humana e de fé e o aperfeiçoamento espiritual para serem diáconos e depois presbíteros, respondendo ao apelo de Deus.

A frequentar o Ano Pastoral (6º ano), Miguel Ângelo Pereira e Vasco Figueirinha estão em Faro e realizam também o mestrado de Teologia, respetivamente nas áreas de História da Igreja e Sagrada Escritura.

Na homilia da celebração, que teve lugar na igreja de São Pedro, em Faro, D. Manuel Quintas referiu-se a esta etapa como “decisiva” num caminho “intenso” que há de conduzir os instituídos ao ministério ordenado e evidenciou a sua relação com a Eucaristia. “Aqueles que se predispõem para serem ordenados, diáconos, padres ou bispos, é importante que se detenham algum tempo e se «alimentem» quer da palavra, quer da Eucaristia, servindo-a aos seus irmãos”, afirmou o prelado, manifestando a importância da “oração pessoal” diante do sacrário e de não se deterem “apenas na mesa da palavra”. “Somos convidados a passar à Eucaristia, já que este ministério é, todo ele, centrado na pessoa de Cristo que está presente na Eucaristia”, acrescentou.

Dirigindo-se então diretamente aos novos acólitos, o prelado deixou-lhes alguns apelos. “É com Cristo que tendes de vos identificar e a Ele que tendes de seguir, anunciar e testemunhar na Igreja e, de maneira particular, na nossa Igreja diocesana. Fazei da Eucaristia a escola mais eficaz da vossa identificação com Cristo. É assim que deveis realizar o vosso ministério, aprendendo da Eucaristia o sentido da doação e da entrega aos outros e distribuindo a Eucaristia como «pão da vida» ao povo de Deus”, apelou D. Manuel Quintas.

“A vós se confia o ministério de ajudardes os presbíteros e os diáconos no desempenho das suas funções e de distribuirdes aos fiéis (incluindo aos doentes) como ministro extraordinário, a sagrada comunhão. Procurai viver, cada vez mais, o sacrifício do Senhor e conformar-vos com Ele, cada vez mais perfeitamente. Esforçai-vos por aprender o sentido íntimo e espiritual daquilo que realizardes e oferecei-vos todos os dias a Deus como vítimas espirituais que lhe são agradáveis por Jesus Cristo. Amai sinceramente o corpo místico de Cristo, ou seja, o povo de Deus, sobretudo os fracos e os doentes”, pediu.

No final da Eucaristia, o bispo do Algarve deixou aos instituídos a certeza da oração “intensa” dos cristãos algarvios e pediu-lhes que não façam férias dos estudos para que até setembro se libertem de “preocupações académicas”.

Samuel Mendonça
Pub