Pub

A DJ "avozinha", que mistura clássicos com música eletrónica num estilo com sonoridades electro-rock, vai estrear-se em Portugal, no Dolce Bar, em Vilamoura, Algarve.

A inglesa, cuja imagem de marca são os ténis, óculos escuros e roupas cintilantes, começou a carreira de DJ há cerca de quatro anos, quando o neto fez anos e a convidou para ir à sua festa, numa discoteca.

Quando lá chegaram o porteiro não a queria deixar entrar, mas lá conseguiu e uma vez lá dentro disse, em entrevista à agência Lusa, ter ficado deslumbrada com a atmosfera "elétrica".

"Era tudo tão diferente das festas e bailes a que ia quando era nova", contou à Lusa, dizendo ter sentido "uma verdadeira osmose entre a música e as luzes", que lhe deu energia e a fez sentir muito mais nova.

"Discuti a ideia com o meu neto, que pensava que eu tinha enlouquecido", confessa, contando que a ideia começou a ganhar forma quando conheceu um produtor francês que a apresentou à música "house" e "electro".

"Neste momento sou inundada de convites para tocar em todo o mundo o que é muito bom pois adoro viajar", relata Ruth Flowers, que diz que a reação de quem está na pista de dança a ouvir a sua música tem sido "espantosa".

Nascida numa família de músicos, a DJ, que viveu em Portugal dez anos, diz que a sua banda preferida são os Queen, nos quais se inspirou para o seu próximo "single" a ser lançado em maio, "Still Rocking".

Quando era mais nova ouvia os "clássicos", Frank Sinatra, Ella Fitzgerald e James Brown, mas agora as suas preferências vão para Kylie Minogue, Madonna, Lady Gaga ou Daft Punk, entre outros.

"A minha música é uma mistura de temas mais clássicos com sons ‘electro’ e ‘house’", resume a DJ, considerada a mais velha da Europa no ativo, que se diz "maravilhada" com o sucesso que as suas "performances" têm tido.

Lusa

Pub