Pub

Foto do Facebook de João Eduardo

Duas dezenas de manifestantes contra a exploração de petróleo no Algarve concentraram-se ontem frente à Comissão de Coordenação e Desenvolvimento (CCDR) regional, em Faro, por ocasião da visita ministro Adjunto, Eduardo Cabrita.

Os manifestantes do Movimento Algarve Livre de Petróleo (MALP) procuravam confrontar o ministro à sua chegada à CCDR do Algarve para participar num seminário sobre Descentralização, mas não conseguiram chegar ao contacto com o governante antes do início do encontro.

João Martins, do MALP, disse à Lusa que o movimento está “desiludido” com a atuação “pouco transparente” do Governo sobre o processo que levou à celebração de contratos para prospeção e exploração de petróleo ao largo da costa algarvia, em Aljezur.

“A Eni/Galp só está à espera do aval do Governo para avançar (em Aljezur), com a agravante dos contratos serem de prospeção, mas também de exploração”, afirmou João Martins.

O MALP quer ainda obter esclarecimentos sobre o último mapa de concessões lançado pela Entidade Nacional para o Mercado de Combustíveis, que retirou quatro concessões previstas para o Algarve.

“Não temos garantia que isso corresponda aos cancelamentos dos contratos”, justificou, questionando: “Como é que lançam um mapa diferente daquele que é conhecido publicamente”.

Esta é uma questão que os manifestantes querem ver explicada oficialmente pelo Governo e que vão tentar expor ao ministro à saída do seminário.

Pub