Pub

Especialistas portugueses e estrangeiros vão reunir-se em Faro, para uma primeira “iniciativa pública” do projeto, resultante do acordo de cooperação celebrado a 30 de junho de 2009 entre o Ministério da Cultura e a Conferência Episcopal Portuguesa, como explica Sandra Costa Saldanha, diretora do Secretariado Nacional para os Bens Culturais da Igreja (SNBCI)

Em entrevista ao programa ECCLESIA, na RTP 2, a responsável afirmou esta segunda-feira que o congresso pretende apresentar “em traços gerais, as catedrais portuguesas”, feita com o apoio de “especialistas e historiadores nacionais”.

Além disso, os promotores da iniciativa pretendem fazer um “ponto da situação” relativamente à «Rota das Catedrais», incluindo a apresentação da imagem gráfica do projeto e o seu portal na Internet, bem como iniciativas em curso como a “elaboração de roteiros e materiais informativos” para os visitantes.

O congresso vai ainda reunir representantes de instituições ligadas à investigação, ao turismo, municípios e Igreja Católica, para definir, segundo a diretora do SNBCI, “rumos e caminhos para este projeto”.

Para Sandra Costa Saldanha, a valorização destes monumentos deve ser de “natureza material e imaterial”, bem como “religiosa”, procurando conciliar as componentes “cultual e cultural”.

“Intervir nas catedrais portuguesas não é intervir, pontualmente, nalgum edifício, é na verdade intervir na própria cidade”, defende.

Até ao momento, o trabalho desenvolvido passou pelo “diagnóstico” do estado das várias catedrais, procurando perceber o seu estado, estando identificadas “patologias e necessidades mais urgentes” para as intervenções, que devem decorrer nos próximos dois anos, envolvendo “verbas muito significativas”, provenientes em parte de fundos comunitários.

Sandra Costa Saldanha revela que há problemas que precisam de “ser resolvidos”, ressaltando, no entanto, que, nalguns casos, os edifícios mereceram já uma “atenção muito significativa”.

Destacando o “excelente entendimento” com os responsáveis governamentais, nesta matéria, a diretora do SNBCI refere que, por parte da Igreja, há uma crescente tomada de consciência da importância de encontrar “pessoal especializado”.

O acordo de cooperação assinado em 2009 assume como objetivo oferecer às catedrais uma atenção global, através de uma qualificada intervenção de recuperação e conservação de valores patrimoniais inestimáveis.

Segundo Sandra Costa Saldanha o projeto passa por valorizar “um conjunto muito significativo de monumentos”, que “nunca foram tratados nem entendidos como um todo”.

Ao projeto estão associados os monumentos afetos ao culto católico com o estatuto canónico de catedral, ou de concatedral, bem como a sé Velha de Coimbra e as antigas antigas sés de Elvas e de Silves.

O programa completo do congresso internacional de Faro está disponível na página oficial do evento na Internet.

Ecclesia
Pub