Pub

“Temos um processo permanente em curso de conselhos ao viajante através do nosso site. É uma prática de vários anos. O Foreign Office (Ministério dos Negócios Estrangeiros) não alerta os conselhos globais para um país perante um caso específico”, disse hoje à Agência Lusa fonte do gabinete de imprensa da embaixada.

“Os crimes na rua são ocasionalmente acompanhados por violência. Permaneça alerta e guarde os bens de maior valor”, pode ler-se nos conselhos aos viajantes disponíveis nos sites do Foreign Office e da embaixada.

No entanto, o jornal britânico The Independent noticia hoje que as autoridades britânicas aconselham os turistas que venham para Portugal a serem cautelosos depois da morte de um homem que foi “selvaticamente” atacado na rua por um gangue de jovens.

Ian Haggath, de 50 anos, morreu depois de ter sido atacado em Albufeira, a 15 de Maio, por quatro pessoas. Alegadamente, estes quatro suspeitos pertencem ao gangue que atacou e matou outro cidadão britânico, Darren Lackie, de 22 anos, em março último e esfaqueou um turista irlandês, David Hoban, de 44 anos, que sobreviveu.

Em declarações à Lusa, a fonte da embaixada britânica disse que “todos os casos preocupam e muito” aquele posto diplomático, que mantém uma “monitorização constante” aos acontecimentos no Algarve.

De acordo com a mesma fonte, visitam anualmente Portugal 1,6 milhões turistas britânicos.

Lusa

Pub